Blogs LGBTs Em Silêncio Enquanto Casal de Lésbicas Enfrenta 20+ Anos de Prisão No Kuwaiti

This post is also available in: English Español Deutsch Русский

“Após o serviço militar, Monique e sua companheira Larissa retornaram posteriormente ao Kuwait para trabalhar como empreiteiras militares. Na manhã de 8 de maio de 2015, a casa delas sofreu uma batida e a polícia confiscou aproximadamente 28 gramas de uma substância “parecida com tabaco”. A substância foi enviada a um laboratório na Alemanha para análises, e foi constatado que se trata de uma substância que é completamente legal no Kuwait. No entanto, os funcionários do Kuwait as mantém na prisão mesmo assim. Depois de 8 meses de encarceramento sem acusações, as 28 gramas de substância legal se transformaram magicamente em 453 gramas de maconha, e em 12 de janeiro de 2016, Monique e Larissa foram sentenciadas a 20-25 anos de prisão.”

— Jasmine Coverson, mãe da veterana do exército dos EUA Monique Coverson, em uma petição no Change.org pedindo ao presidente Barack Obama, o embaixador americano no Kuwait Douglas A. Silliman, o Reverendo Al Sharpton e a Human Rights Campaign para ajudar a soltar Monique e sua companheira Larissa Joseph da prisão do Kuwaiti onde elas são mantidas acusadas de posse de drogas envolvendo K2 (também conhecida como “Spice”), um tipo de maconha sintética que na verdade é legalizada no Kuwait.

De acordo com o ThinkProgress, enquanto relacionamentos entre homens são punidas no Iraque com até sete anos na prisão, não existe tal lei para relacionamentos entre mulheres. Até o momento da publicação, a petição da Coverson tinha conseguido 95,349 assinaturas e ainda assim quase nenhum meio de comunicação LGBT de grande porte mencionou a detenção ou a prisão dela.