Temos muito a discutir no Dia da Visibilidade Intersexo

This post is also available in: English

Outubro serve como um mês de reflexão na história LGBT e faz sentido que hajam diversas ocasiões para refletir sobre as pessoas, as dificuldades e a história do intersexo. O Dia da Visibilidade Intersexo é hoje, 26 de outubro, seguido pelo Dia da Solidariedade Intersexo (também conhecido como Dia da Lembrança do Intersexo) no dia 8 de novembro. Mas o que são essas datas comemorativas, e como podemos celebrá-las?

O Dia da Visibilidade Intersexo é uma manifestação contra o abuso

O Dia da Visibilidade Intersexo parece ter sido a primeira comemoração de pessoas intersexuais — indivíduos que nasceram com características físicas sexuais que estão entres as usualmente designadas masculinas e femininas. Anteriormente chamados de “hermafroditas”, pessoas intersexuais enfrentam estigma, discriminação e até mesmo abuso e morte pelo mundo todo, então o Dia da Visibilidade foi uma tentativa de educar as pessoas sobre a realidade de suas vidas.

O primeiro dia da visibilidade coincidiu com uma ação política próxima a uma reunião da Academia Americana de Pediatria. Ativistas desejavam participar da conferência, já que bebês intersexuais são frequentemente submetidos a intervenções cirúrgicas que como adultos, eles não gostariam de tê-las impostas a eles.

Os ativistas, no entanto, foram obrigados a sair da conferência pelos seguranças. Como resultado, o único recurso deles foi protestar.

O Dia da Visibilidade Intersexo se tornou um movimento internacional

Com o passar dos anos, a celebração cresceu com impacto e visibilidade internacional. Em 2013, o Senado Australiano reconheceu que a esterilização forçada de pessoas intersexuais é uma prática antiética. Em 2014, senadores de Berlim exigiram mais direitos civis para pessoas intersexuais. E em 2016, as Nações Unidas se manifestou contra práticas médicas abusivas, como médicos que forçam pacientes a escolher um gênero físico.

“Como seus corpos não se aplicam à definição física de masculino ou feminino, crianças e adultos intersexuais são frequentemente submetidos a esterilizações forçadas e cirurgias irreversíveis, e sofrem discriminação nas escolas, nos locais de trabalho e em outros ambientes,” disse Zeid Ra’ad Al Hussein, Alto Comissário de Direitos Humanos da ONU.

Ao mesmo tempo em que o Dia da Visibilidade Intersexo estava ganhando notoriedade, um Dia da Solidariedade Intersexo também estava surgindo. Começando por volta de 2005, a comemoração de 8 de novembro marca o aniversário de uma pioneira, Herculine Barbin. Suas memórias dos anos 1800 mostrou como era a vida de pessoas intersexuais muito antes até mesmo da existência do termo.

Próximos desafios

Apesar dos avanços nos direitos civis para muitas pessoas queer, indivíduos intersexuais ainda enfrentam dificuldades por todo o mundo. Muitos países oferecem poucas proteções ou não permitem que cidadãos tenham a liberdade de escolher seu gênero; e muitos países permitem que pessoas intersexuais sejam forçadas a tratamentos médicos desnecessários.

É difícil dizer o que vem pela frente para o movimento intersexo. No passado, indivíduos intersexuais encontraram um grande aliado no Departamento de Estado dos Estados Unidos. Mas com a nova liderança que é abertamente hostil a pessoas LGBT, é provável que as instituições governamentais americanas vá dar as costas àqueles que precisam de ajuda — ou pior, atacá-los diretamente.

Que isso sirva de lembrete: a hostilidade ainda demonstrada contra indivíduos intersexuais comprova por si só porque esses dias de visibilidade e solidariedade são tão importantes.

 

Foto por Jim Feng via iStock

Traduzido por Rafael Lessa.