34 egípcios foram presos por levantar a bandeira do arco-íris em um show

This post is also available in: English Español Français 繁體中文 العربية

Atualização: Desde que este artigo foi escrito originalmente, o Egito prendeu 34 pessoas. Nós também incluímos um documento em língua arábica do “Conheça seus direitos” para todos os egípcios lerem.

No dia 25 de setembro, no Cairo, sete pessoas foram presas por terem levantado uma bandeira do arco-íris em um show. Aas pessoas presas neste evento foram acusadas de “promover o desvio sexual” depois de terem sido registrados pelas câmeras com a bandeira na mão.

A homossexualidade não é ilegal por lei no Egito. Infelizmente, ainda é comum que os homossexuais sejam presos e acusados de crimes vagos como “desvio”, “imoralidade” ou “blasfêmia”.

Nabil Sadek, Ministro Público no Egito, ordenou uma investigação imediata sobre o que aconteceu. Sadek ainda não anunciou se deve ou não condenar formalmente os sete.

Pode ser surpreendente ver uma declaração pública de apoio aos gays vindo do conservador Egito. No entanto, o concerto esgotado foi um bom local para isso. A banda de rock libanesa Mashrou ‘Leila estava tocando. Seu cantor principal, Hamed Sinno, é abertamente gay, e várias músicas de Mashrou Leila também lidam com a homossexualidade.

Por exemplo, “Shem-el Yasmine” (“Cheiro de Jasmim, em português) conta a história de um jovem homem que gostaria de estar ao lado de seu amor:

Cheire o jasmim
Prove o melado
E lembre-se de me lembrar
Irmão, não me esqueça
Meu amor, meu prêmio
Eu gostaria de mantê-lo perto de mim
Apresentá-lo aos meus pais, você coroou meu coração
Cozinhe sua comida, varra sua casa
Estrague seus filhos, seja sua dona de casa
Mas você está em sua casa e eu estou no meu
Deus, eu gostaria de nunca te deixar ir
Cheire o jasmim
E lembre-se de me esquecer

 

Em resposta ao ocorrido, o sindicado de músicos do Egito anunciaram que eles irão banir a banda de tocar no país. Havia pelo menos 30 mil fãs no concerto do Cairo.

Mashrou ‘Leila ainda não emitiu uma declaração. A banda diz que está esperando até que os detalhes completos da proibição estejam disponíveis. Jordan também proibiu a banda de se apresentar.

Ahmed Alaa, uma das pessoas presas por acenar a bandeira disse: “Eles acabaram de dizer que prenderam gays para acalmarem ao público”. A data de julgamento de Alaa não foi definida.

O Hornet leva muito a sério os LGBTQ e os direitos humanos. A rede social gay compilou este artigo de maneira segura. A versão em árabe pode ser vista abaixo:

egypt rainbow flag arrest know your rights arabic

(Visited 39 times, 1 visits today)