ESTUDO: Ah, Não! Bissexuais São Mais Pobres, Menos Educados e Fumam Mais!

This post is also available in: English Deutsch

Resultados de um estudo conduzido por sociólogos da Universidade de Rice indicam que bissexuais em média enfrentam saúde mais fraca, ganham menos, geralmente não terminam o ensino superior e fumam mais cigarros — caramba!

O relatório “Uma Nova Peça do Quebra-Cabeça: Orientação Sexual, Gênero e Estado de Saúde Física” analisou a percepção de saúde geral e fatores contribuintes entre 10.218 gays, lésbicas e bissexuais, junto com 405.145 heterossexuais. Os bissexuais foram piores do que heterossexuais e homossexuais em todas as categorias.

Além de ficar em cima do muro do ponto de vista sexual, bissexuais também dançam sobre o muro da pobreza — 39,5 por cento de homens bi e 42,5 por cento de mulheres bi ganham menos de $25.000 por ano, o que provavelmente influencia em quase 20 por cento de todos os bissexuais reportando saúde fraca. Ah, e menos de um terço dos bissexuais conseguem um diploma universitário.

Justin Denney, um assistente de professor de sociologia na Rice, compartilhou algumas ideias sobre os resultados:

“Se os bissexuais são minorias dentro das minorias e enfrentam formas de discriminação únicas e mais extremas, isso poderia contribuir com desigualdades em coisas como salário, nível educacional, a propensão de fumar cigarros e outros fatores que afetam o bem-estar.”

E no topo de tudo isso, bissexuais ainda enfrentam muita discriminação, até mesmo de gays e lésbicas, que acham que eles podem simplesmente esconder sua sexualidade sempre que quiserem. Considerando a bifobia, é uma surpresa que eles continuem no armário quase seis vezes mais do que gays e lésbicas?

(imagem em destaque via Caitlyn Childs)