Novo estudo sobre sexo sem camisinha com casais sorodiscordantes mostra transmissão zero

This post is also available in: English Español Русский

Em um estudo recente com 358 casais sorodiscordantes, ou seja, casais onde um parceiro é HIV positivo e o outro é HIV negativo, descobriu-se que cerca de 17 mil casos de sexo anal sem camisinha entre os homens resultaram em zero casos de HIV.

A PREP e a indetectabilidade ajudam a prevenir transmissões de HIV

Os pesquisadores dizem que em aproximadamente 5.000 encontros sexuais não houve transmissão do HIV graças aos parceiros HIV negativos que usam profilaxia pré-exposição (PrEP), uma medicação que pode ajudar a reduzir as chances de transmissão do HIV em até 99%.

Para os demais 12 mil encontros sexuais, não houve transmissão do HIV porque os parceiros HIV positivos eram indetectáveis, ou seja, estavam tomando medicamentos que reduzem a quantidade de HIV no sangue para níveis tão baixos que o vírus não pode ser detectado nos exames. Quando uma pessoa é indetectável, é praticamente impossível transmitir o vírus.

POST RELACIONADOS | Como estúdios de filmes pornôs mudaram seu tratamento a atores positivos

O estudo, chamado de Opposites Attract – Os opostos se atraem-, foi liderado pelo professor Andrew Grulich, do Kirby Institute, uma organização de pesquisa médica afiliada à Universidade de Nova Gales do Sul que estuda infecção e imunidade na sociedade.

Grulich e seus pesquisadores acompanharam 358 casais gays na Austrália, Brasil e Tailândia, seguindo cada casal por cerca de 1 ano e meio. Todo o estudo levou em torno de 4 anos para ser concluído.

Grulich apresentou recentemente a pesquisa de sua equipe na Conferência em Ciência do HIV, organizada pela Associação Internacional de AIDS (IAS) em Paris, França.

O que o estudo prova?

Grulich disse ao Buzzfeed News que a pesquisa “realmente confirma que a carga viral indetectável é completamente eficaz na prevenção de transmissões em casais homossexuais. Essencialmente, estamos documentando que esta é uma forma de sexo seguro para casais nesta situação”. Ele também chamou a descoberta de “transformadora” para casais sorodiscordantes masculinos.

POST RELACIONADOS | Como um alemão se tornou a terceira pessoa em PrEP a contrair HIV?

“Isso nos diz que se um indivíduo HIV positivo recebe tratamento e alcança uma carga viral indetectável – e isso pode demorar de três a seis meses, não é imediato – ela não transmitirá, desde que continue a tomar seus comprimidos diariamente e ir ao médico para monitorar suas cargas virais”.

De acordo com a Buzzfeed News, o estudo Opposites Attract é o maior estudo sobre a transmissão do HIV entre jovens homossexuais sorodiscordantes e “é o primeiro a considerar os dados de países de alta e média renda”.

Traduzido por Pedro Moreno.

Imagem em destaque de Louis-Paul St-Onge via iStock

(Visited 633 times, 1 visits today)