Quantcast
Novo estudo sobre sexo sem camisinha com casais sorodiscordantes mostra transmissão zero HIV

Novo estudo sobre sexo sem camisinha com casais sorodiscordantes mostra transmissão zero

Written by Daniel Villarreal on August 23, 2017
Be first to like this.

This post is also available in: English Español Русский

Em um estudo recente com 358 casais sorodiscordantes, ou seja, casais onde um parceiro é HIV positivo e o outro é HIV negativo, descobriu-se que cerca de 17 mil casos de sexo anal sem camisinha entre os homens resultaram em zero casos de HIV.

A PREP e a indetectabilidade ajudam a prevenir transmissões de HIV

Os pesquisadores dizem que em aproximadamente 5.000 encontros sexuais não houve transmissão do HIV graças aos parceiros HIV negativos que usam profilaxia pré-exposição (PrEP), uma medicação que pode ajudar a reduzir as chances de transmissão do HIV em até 99%.

Para os demais 12 mil encontros sexuais, não houve transmissão do HIV porque os parceiros HIV positivos eram indetectáveis, ou seja, estavam tomando medicamentos que reduzem a quantidade de HIV no sangue para níveis tão baixos que o vírus não pode ser detectado nos exames. Quando uma pessoa é indetectável, é praticamente impossível transmitir o vírus.

POST RELACIONADOS | Como estúdios de filmes pornôs mudaram seu tratamento a atores positivos

O estudo, chamado de Opposites Attract – Os opostos se atraem-, foi liderado pelo professor Andrew Grulich, do Kirby Institute, uma organização de pesquisa médica afiliada à Universidade de Nova Gales do Sul que estuda infecção e imunidade na sociedade.

Grulich e seus pesquisadores acompanharam 358 casais gays na Austrália, Brasil e Tailândia, seguindo cada casal por cerca de 1 ano e meio. Todo o estudo levou em torno de 4 anos para ser concluído.

Grulich apresentou recentemente a pesquisa de sua equipe na Conferência em Ciência do HIV, organizada pela Associação Internacional de AIDS (IAS) em Paris, França.

O que o estudo prova?

Grulich disse ao Buzzfeed News que a pesquisa “realmente confirma que a carga viral indetectável é completamente eficaz na prevenção de transmissões em casais homossexuais. Essencialmente, estamos documentando que esta é uma forma de sexo seguro para casais nesta situação”. Ele também chamou a descoberta de “transformadora” para casais sorodiscordantes masculinos.

POST RELACIONADOS | Como um alemão se tornou a terceira pessoa em PrEP a contrair HIV?

“Isso nos diz que se um indivíduo HIV positivo recebe tratamento e alcança uma carga viral indetectável – e isso pode demorar de três a seis meses, não é imediato – ela não transmitirá, desde que continue a tomar seus comprimidos diariamente e ir ao médico para monitorar suas cargas virais”.

De acordo com a Buzzfeed News, o estudo Opposites Attract é o maior estudo sobre a transmissão do HIV entre jovens homossexuais sorodiscordantes e “é o primeiro a considerar os dados de países de alta e média renda”.

Traduzido por Pedro Moreno.

Imagem em destaque de Louis-Paul St-Onge via iStock

Read more stories by just signing up

or Download the App to read the latest stories

Already a member? Log in