Ator pornô gay relata abusos que sofreu durante chemsex

This post is also available in: English Español

Kayden Gray é um ator pornô e acompanhante gay. Ele recentemente se abriu com o Gay Star News sobre algumas experiências que ele teve quando participou de chemsex (que veio do inglês chemical sex – sexo químico), uma subcultura de usuários de drogas recreacionais que se envolvem em atividades sexuais em grupo sob o efeito de drogas.

Grey descreveu nos mínimos detalhes uma festa onde ele acordou de uma overdose de drogas e se deparou com homens transando com ele.

“Na verdade, na primeira vez que fiz sexo em grupo eu desmaiei mas eu não sei se foi só GHB ou também Ketamina,” admitiu com franqueza. “Eu desmaiei e acordei e eu estava transando. Estavam fazendo sexo comigo e eu não lembro onde, se só tinham três pessoas lá mas também quando você está louco, é muito difícil contar.”

“Eles não tiveram nenhuma consideração,” explicou. “Tipo, para começar eles acabaram com a minha bunda e com a minha garganta e aí tinha sangue saindo dos dois lados. Meus amigos, eles me deram muitas drogas e um deles estava sentado no canto e estava chorando porque ele sabia que ia acontecer. Ele sabia que eu era negativo e todo mundo era positivo. Ele disse, ‘Não deixe ninguém aqui te comer.’ Eu olhei para ele algumas vezes enquanto eu estava transando e você sabe o que é mais cruel, eu queria que ele não estivesse ali porque ele estava me trazendo de volta para a realidade.”

Kayden Gray não se tornou soropositivo nessa ocasião, mas sim alguns anos depois em outro chill-out (uma festa de chemsex) que ele participou.

Gray tenta explicar por que o uso de drogas atrai tanto os homens gays na hora de transar.

“Eu acho que primeiro de tudo é uma maneira muito fácil de transar, é uma certeza,” afirma Gray. “Primeiro, possivelmente, independente de seus atributos físicos, você pode ter passado por certas experiências que te fez questionar seu próprio valor e potencialmente derrubou sua autoestima e nesse caso você vai procurar por validação.”

“Não há muitos homens gays que eu tenha conhecido que pude visivelmente constatar e acreditar que não tenham esses problemas. A maioria de nós tem, quer você tenha problemas com o corpo ou quer você ache que está superando eles. Você vai para as festas de chemsex porque você espera ser aceito e você tem chances maiores ou você vai porque você quer mostrar aquele você novo e confiante.”

“Eu acho que ambos os casos se aplicavam a mim.”

 

Traduzido por Rafael Lessa.