Dono de cafeteria expulsa homofóbicos que protestavam contra aborto

This post is also available in: English

Em 28 de Setembro, ocorreram vários protestos antiaborto em Seattle, Washington, nos Estados Unidos. Os protestos aconteceram em lugares diferentes por toda a cidade, incluindo a Estátua de Lenin no bairro de Fremont, uma escola pública de Seattle, entre outros.

Isso foi parte de uma campanha da The Tenth Mark, uma organização antiaborto. Eles anunciaram os protestos há alguns dias através de flyers assustadores com o texto “VOCÊ NÃO ESTÁ SEGURO” e encaminhando as pessoas ao site AllGodsMustDie.com. Antes dos protestos, o website AllGodsMustDie.com mostrava apenas o título “VOCÊ NÃO ESTÁ SEGURO”. Após, o URL redirecionava as pessoas para o website da The Tenth Mark. (Não colocamos o link porque o site tem vídeos com imagens explícitas.)

anti-gay abortion protestors gay coffee shop anti-abortion
Um dos flyers “Você Não Está Seguro”. Esse mostra um ponto turístico local, o Fremont Troll.

Esse vídeo da conta do YouTube AbolishHumanAbortion explica a campanha deles:

Mas todos esses protestos e cultura do medo dá muita sede. Então, os manifestantes da AbolishHumanAbortion e The Tenth Mark deram uma passada no Bedlam Cafe de Seattle para tomar um café. Infelizmente para eles, não deu muito certo, como mostra esse vídeo do Facebook:

No vídeo, o dono da Bedlam, Ben Borgman enfrentou eles. “Eu sou gay. Vocês tem que ir embora,” disse.

Os manifestantes perguntaram se ele estava se negando a atendê-los, e ele confirmou que sim. Borgman bateu de frente com eles com um panfleto que encontrou. O panfleto — que, de novo, contém imagens explícitas, então não vamos mostrar aqui — tem uma bandeira do arco-íris e um punho com a legenda “O Amor Não Ganhou Ainda.”

No interior do panfleto tem um pequeno texto intitulado “Somos uma Cultura Cheia de Ódio, Preconceito, Intolerância e Opressão Com Orgulho,” acompanhado de outra bandeira do arco-íris. Em seguida tem uma imagem repugnante de duas mãos com as cores do arco-íris cheias de sangue com uma imagem explícita de um feto abortado. A contracapa tem outro texto e uma frase que encoraja as pessoas a acessarem AllGodsMustDie.com.

Apesar dos manifestantes não terem distribuído panfletos dentro do estabelecimento, eles admitiram que era deles. Borgman novamente falou para os manifestantes que eles não eram bem-vindos em sua cafeteria, e eles se recusaram a sair. Os manifestantes continuaram a perguntar a Bergman se ele estava negando atendimento — e perguntando por que Borgman estava se sentindo ofendido. (Talvez tenha sido por causa do panfleto homofóbico e grotesco.)

Borgman responde os pedidos deles de “tolerância” perguntando se eles iriam tolerar que ele pegasse seu “namorado e comesse o cu dele bem aqui”. Quando os manifestantes admitiram que não iriam querer ver isso, Borgman respondeu “Bem, então eu não tenho que tolerar isso!”

Enquanto iam embora, os manifestantes comentaram “Seattle provou não ser tolerante.”

Considerando as lutas políticas contra comunidade LGBTQ recentemente, é particularmente engraçado quando manifestantes anti-LGBTQ reclamam sobre seu preconceito não ser tolerado. Puro drama forçado.

Essa história foi divulgada em sites de notícia da direita, onde eles tentam fazer com que os manifestantes sejam heróis injustamente maltratados. Mas considerando que esses sites são os mesmos que apoiam confeiteiros que se recusam a fazer bolos de casamento para casais gays, é um pouco irônico que eles sejam contra esse caso de um dono de estabelecimento defender suas crenças.

 

Foto por Ranta Images via iStock

Traduzido por Rafael Lessa.