O RPG Gay que Você Nunca Ouviu Falar…

This post is also available in: English

Bastard Bonds, Geremy Walker, Steam, Mass Effect 3, Dragon Age, Fable

Unicorn Booty é um patrocinador de mídia do GX4 (GaymerX). Esse artigo é baseado em um de seus painéis, mas para a nossa cobertura completa do GX, clique aqui.

O desenvolvedor de videogames Geremy Walker é mais conhecido como Captain GerBear, um artista que se especializou em pin-ups masculinos musculosos, mas ele lançou recentemente Bastard Bonds um RPG violento que é um dos mais gays no mercado.

Outros jogos de longa duração recentes integraram conteúdo gay neles — Dragon Age, Mass Effect 3 e Fable 3 por exemplo — mas eles normalmente apresentam a homossexualidade em uma série de cenas de corte sexuais de curta duração onde você pode dar uns pegas em um elfo robusto ou um viajante espacial. Em Bastard Bonds, você passa o jogo cercado por aventureiros musculosos e com poucas roupas que gostam de seduzir e as vezes ficam nus, porém de uma maneira altamente pixelada não explícita.

Depois de ser condenado por um crime que não cometeu, você se encontra entre os incontáveis presidiários da ilha Lukatt. Para sobreviver e escapar dos mistérios violentos da ilha, você tem que formar “laços bastardos” com um bando de aventureiros musculosos dispostos a lutar e fugir por você — cada uma das habilidades especiais deles depende do crime pelo qual eles foram condenados. Você pode escolher ser homem ou mulher: escolha a mulher e ela pode escolher ser heterossexual, se você escolher um homem, ele pode ser gay.

Bastard Bonds, Geremy Walker, Steam, Mass Effect 3, Dragon Age, Fable
A Ilha de Lukatt

Apesar de muitos dos personagens homens do jogo flertarem com você, o jogo não força relacionamentos sexuais; em vez disso, ele apenas retrata os homens da mesma maneira que os RPGs há muito tempo retratam as mulheres: tem até um lobisomem usando couro e um titã robusto que você pode seduzir.

Bastard Bonds, Geremy Walker, Steam, Mass Effect 3, Dragon Age, FableA avaliação exaustiva do jogo de James D Ollero dá uma ideia melhor da sexualidade escancarada do jogo:

Os habitantes dessa ilha estão familiarizados com o sexo, e se você tiver sorte (ou azar), você pode encontrar por acaso cenas de sexo escondidas. Apesar de nada explícito ser mostrado ou descrito nesse jogo, os efeitos sonoros e as situações em que seu personagem é colocado podem ser libidinosas o suficiente para você gozar, e tem para todos os gostos.

O game em si é mais interessante nas lutas do que na pegação, mas o fato de ter sido criado por um artista gay e contar com um bando de homens gostosos quase pelados (alguns desenhados em um estilo pin-up sexy) mostra que há mais do que um interesse passageiro, onde a identidade gay é uma parte constante da ação e não uma cena escondida.