Entenda a PrEP de maneira rápida e fácil

Dando continuidade à nossa série de artigos sobre a PrEP, falamos com o Doutor Rico Vasconcelos, que escreveu esse texto em contribuição ao Hornet.

 

Se você ainda não ouviu falar de PrEP, com certeza irá se deparar com ela nos próximos meses. E se você é gay, deve desde já começar a se informar e entender sobre o assunto.

PrEP é a sigla em inglês para Profilaxia Pré-Exposição, uma nova maneira de se proteger contra o HIV, já comprovadamente com poucos efeitos colaterais e bastante eficaz, que está revolucionando o mundo e que chegará ao Brasil no final de 2017.

A PrEP nada mais é do que o uso diário de um comprimido com 2 medicamentos que impedem que o HIV se multiplique. Dessa maneira, se uma pessoa que está em PrEP tem contato com o HIV numa transa sem camisinha, o vírus não consegue, por causa do remédio que está circulando no sangue, invadir e se instalar no corpo dela.

 

A PrEP mantém as pessoas livres do HIV.

Dessa maneira, deve ser tomada por pessoas que não têm HIV (soronegativas) e que não querem ou não conseguem usar a camisinha em todas as relações sexuais com risco de transmissão do vírus. Ela deve ser tomada de maneira correta, todos os dias, pois somente com boa adesão aos comprimidos um indivíduo se mantem protegido da infecção.

A verdade é que a camisinha também só funciona para proteger contra o HIV quando usada corretamente e, basta vermos o avanço dos números da epidemia de HIV no Brasil para rapidamente concluirmos que existem muitas pessoas que não estão conseguindo usá-la. São essas as pessoas que mais serão ajudadas pela PrEP para se manterem livres do HIV. Vejam, PrEP então não é para todos: aqueles que usam a camisinha de maneira constante e que preferem continuar utilizando esse método de prevenção, já estão bem protegidos dessa forma e não precisam da ajuda da PrEP enquanto continuarem assim.

Os casos de infecção por HIV no Brasil não se distribuem de maneira igual em toda a população. Ao contrário, se concentram em alguns poucos grupos, como por exemplo os gays, que chegam a ter mais de 50 vezes mais chances de pegar HIV durante a vida quando comparado com um homem heterossexual. Assim, qualquer ajuda que os gays puderem ter para reduzir as novas infecções será bem-vinda.

Por causa disso, o Ministério da Saúde decidiu trazer para o Brasil a PrEP como estratégia adicional de prevenção contra o HIV, de maneira gratuita pelo SUS, a partir do dia 1º de dezembro (Dia mundial de luta contra o HIV). Nesse projeto, gays e outros grupos em que se concentram os casos de HIV no país poderão ser acompanhados em consultas regulares, onde discutirão suas vulnerabilidades e estratégias de prevenção, receberão os comprimidos da PrEP e serão testados e tratados para as outras infecções sexualmente transmissíveis não-HIV.

Acreditamos que a melhor maneira de se prevenir contra o HIV é aquela que o indivíduo escolhe, entende como funciona e é capaz de utilizar de maneira correta e constante na sua vida, sem com isso prejudicar sua vida sexual. Por isso, fique esperto pois a PrEP pode ser uma boa opção para você se manter livre do HIV.
Para mais informações sobre a PrEP, como conseguir, onde encontrar e quando estará disponível, fique atento às nossas próximas postagens sobre o assunto e aos anúncios do Ministério da Saúde.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Rico Vasconcelos é médico infectologista da Faculdade de Medicina da USP e do Projeto PrEP Brasil