Refugiados LGBT precisam da nossa ajuda em todo o mundo

This post is also available in: English Español Français 繁體中文

Todos os meses observamos notícias de todo o mundo, cortesia da Equal Eyes, uma fonte de notícias produzida em colaboração com o UNAIDS e o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV / AIDS. Este mês, descobrimos que quase 30% das pessoas em todo o mundo querem proibir a homossexualidade. Nós também demos uma olhada na terapia de cura gay da China e nos desafios adicionais que os refugiados LGBTQ enfrentam.

Cura gay está viva e plena na China

ex-gay photos 09The Human Rights Watch published a novo relatório sobre terapia de cura gay na China. O relatório detalha em primeira mão a medicação forçada, terapia de choque elétrico e outras práticas nocivas nos hospitais chineses entre 2009 e 2017.

No Reino Unido, muitos profissionais da área de Saúde se pronunciaram contra a terapia de cura gay e uma nova petição foi lançada urgentemente ao parlamento a fim de transformar essas terapias em crime.

A retórica conservadora está prejudicando as pessoas LGBTQ em todo o mundo

A ASEAN SOGIE lançou um novo relatório que resume os vários problemas de direitos humanos que as pessoas LGBTIQ enfrentam no Sudeste Asiático em meio à “crescente influência das forças políticas conservadoras”. O Caucus também publicou um relatório focado na vida de pessoas lésbicas, bissexuais e trans de Timor-Leste, que descobriram que uma maioria experimentou extrema homofobia e violência, muitas vezes de membros da família.

A ASEAN SOGIE lançou um novo relatório que resume os vários problemas de direitos humanos que as pessoas LGBTIQ enfrentam no Sudeste Asiático em meio à “crescente influência das forças político-conservadoras.” Foi publicado também um relatório como foco na vida de lésbicas, bissexuais e trans no Timor Lesta, que encontrou uma maioria que experimentou homofobia de extrema violência advinda de membros de família..

Do Butão, o jornalista Chencho Dema examinou os riscos que indivíduos LGBTQ+ enfrentam a medida em que se tornam mais visíveis em uma sociedade que criminaliza e homossexualidade. De Singapura, Kristen Han observou o crescimento de eventos de orgulho gay e de locais seguros mesmo o governo se recusando a descriminalizar a homossexualidade.

Escócia pode perdoar homens condenados por homossexualidade

Primeiro Ministro da Escócia, Nicola Sturgeon pediu desculpas públicas e anunciou uma nova lei para perdoar homens gays condenados pela lei anti-gay do país. No ano passado, a Irlanda, o Reino Unido e a Nova Zelândia se movimentaram para apagar condenações históricas, enquanto a Alemnha prometeu compensação monetária para esses condenados.

Um tribunal brasileiro reconheceu a validade de relações abertas

No Brasil, o Tribunal de Justiça de Santa Catarina decidiu que um casal gay separado estava em “relacionamento estável” há 10 anos, apesar de ter um relacionamento “aberto” com outros parceiros sexuais e deve dividir sua propriedade igualmente

A igreja anglicana inglesa se declara contra o bullying aos LGBTQ

Bullying, Schoolyard, Kids

A Igreja anglicana inglesa enviou para 4.700 escolas sua orientação “avaliando todos os filhos de Deus”com 12 recomendações que visam melhorar a inclusão e o combate à homofobia.

Quase 29% das pessoas em todo o mundo querem proibir a homossexualidade.

 

O ILGA divulgou os resultados do “Levantamento de atitudes globais sobre minorias de sexo e gênero”. A pesquisa fornece “dados verificáveis baseados em evidências em vez de evidências anedóticas” sobre uma série de questões da religião, do emprego, da comunidade e da cultura. Os pesquisadores refletem que o mundo é “surpreendentemente mais aceito do que se poderia imaginar” e que quase metade dos entrevistados acredita que se pode aceitar a orientação sexual e a identidade de gênero e ainda respeitar a própria cultura. Embora a pesquisa mostre grandes ganhos de aceitação, 28,5% em todo o mundo ainda acreditam que as relações homossexuais devam ser criminalizadas.

As alegações de agressão sexual estão desafiando as pessoas a abandonar a masculinidade tóxica

gay weinstein harvey weinstein O contínuo ataque de acusações de agressão sexual contra homens “poderosos” estimulou alguns a refletir sobre o que significa ser um homem. Declarar “a masculinidade está em crise”, o editor Matt Cain, dedicou uma questão de Atitude para refletir sobre a relação entre homens gays e masculinidade. GLAAD iniciou a discussão sobre as redes sociais para obter uma visão sobre a masculinidade da perspectiva dos homens trans. E escrevendo para eles. Alexander Chee descreveu:

O contínuo ataque de acusações de agressão sexual contra homens “poderosos” estimulou alguns a refletir sobre o que significa ser um homem. Declarando “que a masculinidade está em crise” o editor Matt Cain, dedicado ao assunto da “atitude” faz uma reflexão sobre relacionamentos entre homens gays e masculinidade. O GLAAD começou essa discussão nas redes sociais a fim de conseguir um prospecto sobre a masculinidade da perspectiva dos homens trans., Alexander Chee disse:

Os homens são regularmente ensinados a ter poder, em vez de poder – poder através da comunidade, amizade, amor, atração, consenso. É um lugar comum de masculinidade tóxica pensar que você tem que pegar algo e expor isso, em vez de se sentir confortável com você, seus desejos e seus relacionamentos.

Multimilionário decide vender suas lojas ao invés de se livrar de placas homofóbicos

Ativistas Russos convenceram as autoridades a enfrentarem uma cadeia local de supermercados sobre placas de avisos homofóbicos que recusavam vender a “bichas” e “sodomistas”. O proprietário multimilionário anunciou que venderia as lojas em vez de comprometer seus valores.

Refugiados LGBTQ precisam de ajuda

Syrian refugees strike in front of Budapest Keleti railway station. Refugee crisis. Budapest, Hungary, Central Europe, 4 September 2015.No Canadá, os ativistas temem que a insuficiência de financiamento faça com que refugiados LGBT sejam extraditados. Nos EUA, Heartland Alliance descreveu o desafio de reassentar os refugiados LGBT que são rejeitados por pessoas da mesma região. No Reino Unido, a Micro Rainbow International está construindo casas de refúgio seguras para LGBTQ para protegê-los de crimes de ódio.

 


Equal Eyes, UNAIDS, logo, news, rainbow, LGBT, LGBTQIAA, LGBTQ, queer, gay, lesbian, bisexual, transgender

 

 

 

 

 

O Hornet traz atenção para questões globais de importância para pessoas lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros e intersexuais. Nossa parceria com a Equal Eyes, fonte de notícias produzida em colaboração com o UNAIDS, o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV / AIDS, faz parte desse esforço. Para saber mais, visite o site da Equal-Eyes.org

Imagem em destaque por jrroman via iStock