A Rede Secreta De Drogas Para HIV/AIDS Da Elizabeth Taylor

This post is also available in: English

É o Dia Nacional de Conscientização de HIV/AIDS para Homens Gays! Você provavelmente já deve estar bem ciente do HIV e da AIDS, mas você sabia que a atriz Elizabeth Taylor mantinha uma rede secreta de contrabando de drogas para HIV/AIDS?

(via Wikipedia)
(via Wikipedia)

Elizabeth Taylor tinha uma paixão pelo ativismo contra a AIDS em uma época em que a primeira resposta do governo à epidemia foi uma risada abominável. Taylor, que perdeu muitos entes queridos para a AIDS, angariou muito dinheiro (e aumentou a conscientização pública) para a doença. De um perfil da Vanity Fair de 1992:

No inverno de 1985, quando Taylor atendeu ao apelo de sete homens gays (dois dos quais já morreram de AIDS) para participar como presidente da primeira grande beneficência contra a AIDS— o jantar da Commitment to Life (Compromisso com a Vida), que arrecadou 1 milhão de dólares para o AIDS Project Los Angeles, um grupo de atendimento com base comunitária que arregaça as mangas para oferecer cuidados para os pacientes com AIDS—ela estava lá sozinha. Nenhuma celebridade do porte da Taylor até aquele momento teve a coragem para dar a cara a tapa por uma doença que naquele época se achava que se restringia aos homens gays. Elizabeth Taylor tirou a AIDS do armário e a trouxe até o salão, onde havia dinheiro—e conscientização—para ser angariado.

Ela também jogou um shade dos bons para o George H.W. Bush:

Eu não acho que o Presidente Bush esteja fazendo alguma coisa pela AIDS,” disse Taylor para uma coletiva de imprensa lotada em Amsterdã na Oitava Conferência Internacional sobre a AIDS. “Na verdade, eu nem sei se ele sabe como soletrar ‘AIDS.’ ”

Em 1991, ela criou a Elizabeth Taylor AIDS Foundation, uma organização sem fins lucrativos que se vangloria de ter dado U$ 17 milhões para financiar programas de prevenção e tratamento da AIDS por todo o mundo.

Mas na verdade o ativismo da Taylor contra a AIDS foi ainda mais longe que isso. Quanto mais longe? Longe o bastante para infringir a lei.

A modelo/atriz/estrela de Uma Estranha em Los Angeles (Alien From L.A.) Kathy Ireland falou com o ET sobre a saudosa Elizabeth Taylor. De acordo com Ireland, Taylor mantinha um abrigo secreto e traficava drogas para ajudar pacientes com AIDS/HIV a receber tratamentos experimentais que não haviam sido aprovados pelo órgão responsável (FDA) ainda. Na época, o governo americano estava realmente procrastinando para permitir que os pacientes com AIDS/HIV tivessem acesso aos tratamentos que potencialmente salvariam vidas.

“Um exemplo de coragem em sua casa em Bel-Air,” disse Ireland. “Era um abrigo. Grande parte do trabalho que ela realizou era ilegal, mas ela estava salvando vidas. Era em uma época em que não havia nada a se fazer. Os parceiros de negócios imploraram a ela, ‘Esquece isso.’ Ela recebeu ameaças de morte. Os amigos batiam o telefone na cara dela quando ela pedia ajuda, mas algo que eu adoro na Elizabeth é a sua coragem.”

De acordo com Ireland, Elizabeth Taylor chegou a vender suas joias para financiar essa operação, e você sabe o quanto ela amava diamantes.

Mas nem todo mundo acredita nessa história. Sally Morrison, antiga vice-presidente de desenvolvimento e política externa na American Foundation for AIDS Research disse à NY Mag,

Eu sei que a Elizabeth dava muito apoio ao trabalho que o Project Inform estava fazendo com drogas experimentais contra a AIDS. Ela contribuiu com a organização como uma pessoa privada. E ela encorajou a amfAR a incluir alguns agentes experimentais na nossa informação de tratamento. Mas administrar um clube de compras na Costa Oeste? Acho um pouco demais, não é?

A ideia de Elizabeth Taylor obter drogas no mercado negro não parece muito absurda para a gente. Ela amava os gays e ela realmente gostava de drogas, então porque não combinar os dois?