A Verdade Nua e Crua: Estou Com Ciúmes Em Um Relacionamento A Três!

This post is also available in: English

Querida Naked Truth –

Me ex-namorado de cinco anos me traiu todo o tempo que estávamos juntos. Minha baixa autoestima deixou ele me convencer que ele ainda me amava apesar das traições. No final abrimos a nossa relação para outros parceiros sexuais mas era mais ele saindo para transar.

Agora eu estou em um trio, com dois homens incríveis que estão juntos por 9 anos [vamos chamá-los de Peanutbutter (*PastaDeAmendoim) & Wonderbread (*PãodeForma)] e me amam cegamente no bom sentido. Antes de eu conhecer Peanutbutter & Wonderbread eu costumava ver Wonderbread pela cidade com outro homem com quem ele tinha bastante contato físico. Ele diz que são apenas amigos. Nós cruzamos com esse cara, Mr. Grabby, ontem de noite e eu entrei em pânico. Eu saí correndo, falei pro Wonderbread que não acreditava que eles eram”só amigos” e rolou uma discussão entre nós três. Meu ciúmes nesse tipo de situações é inapropriado. Algum conselho?

Com amor,

Jelly (*Geléia)

*

Querido Jelly,

Parece que você arranjou um picles bem verde e salgado chamado Ciúmes de acompanhamento nesse sanduíche que já foi delicioso que você montou com Peanutbutter & Wonderbread. Não vá enfiando e engolindo o pepino do seu ex (tem um tempo e um lugar para isso e não é agora, não é verdade?). Explore o que o monstro de olho verde do ciúmes está te dizendo, Jelly, em vez de colocá-lo em um frasco onde ele vai certamente fermentar com ressentimento.

Seu ex te mostrou que o ciúmes não é algo bobo porque o monstro de olho verde passou 5 anos tentando chamar sua atenção para uma merda que estava rolando. Um relacionamento aberto originado de uma traição não é consensual ou saudável. No seu antigo relacionamento, o ciúmes foi ignorado quando não deveria ter sido, então agora quando ele aparece, você dá ouvidos a ele. É compreensível. Com o Peanutbutter & Wonderbread, claramente você já fez um trabalho pessoal acerca de qualquer ciúmes que com certeza aflora entre vocês três a respeito de amor, carinho e outras coisas. Parabéns.

chess, pink, gay blog, queer, lgbt, chess, game, jealousy, rook
(imagem via metrognome0)

E tem esse Mr. Grabby metendo o picles salgado em tudo. Sendo aberto ou monogâmico, eu acredito que 80% do meu ciúmes geralmente se trata dos meus próprios problemas e 20% sobre o comportamento do meu parceiro.

Tristan Taormino, autor do meu livro não-monogâmico preferido Opening Up, lista quatro componentes emocionais específicos do ciúmes – inveja (eu quero essa pessoa/característica/atenção!), insegurança (Opa, olá histórico de baixa autoestima), possessividade (o Wonderbread é MEEEEUU!) e exclusão (mas e eu?). Todos esses quatro se trata mais de você do que sobre o Wonderbread e se conecta ao maior alimento para o ciúmes: medo. Medo de abandono, medo de não ser bom o bastante ou de que não vai receber o bastante – todos esses medos reforçados socialmente que nos dizem para pedir alguém em casamento porque senão VOCÊ VAI MORRER SOZINHO. (Você não vai).

O medo é um osso duro de roer, principalmente quando esses medos foram confirmados pelo seu ex pegando todo mundo por aí, apesar de sempre negar.

Depois de socar uns travesseiros e tomar muito sorvete em um ataque de ciúmes, se aprofunde um pouco mais. O que está alimentando o seu ciúmes? Você está se sentindo inseguro em relação ao seu relacionamento com o Wonderbread? O que o Mr. Grabby tem que te deixa com inveja? Você deseja que o Wonderbread te tocasse do jeito que ele toca o outro? Isso na verdade tem a ver com o seu ex ou o Wonderbread não é confiável mesmo?

Se dirija ao Wonderbread usando “eu” nas afirmações que expressam seus sentimentos em vez de culpá-lo por eles (“eu fiquei com medo quando eu vi você com o Mr. Grabby ontem a noite porque me lembrou da infidelidade do meu ex”). Peça o que você precisa do Wonderbread para te ajudar a processar seus sentimentos de ciúmes – peça para ele te tranquilizar bastante, te levar para um encontro mais picante, ou sentar com o Peanutbutter e refazer os compromissos do trio.

Assim como você aprendeu, Jelly, o ciúmes persistente e irritante pode ser um indicador real de que algo não está certo. Você está na posição privilegiada para poder observar a confiança e carinho entre Peanutbutter & Wonderbread e usar isso como um indicador para medir a confiabilidade do Wonderbread. Se você decidir confiar no Wonderbread, então trabalhe em você a fundo e desaprenda o que seu ex te ensinou. E se tudo mais falhar, lembre-se que a Geleia não precisa de PastadeAmendoim & Pão para ser deliciosa. É tão maravilhosa sozinha ou espalhada em uma rosca quentinha e fresquinha.

– – – – –

Yana Tallon-Hicks é a colunista para conselhos de sexo e relacionamento do Unicorn Booty. Yana atualmente estuda Terapia de Família & Conjugal na esperança de se tornar a melhor sexóloga queer da área. Ela se formou em estudos da sexualidade e educação sexual, trabalhou como educadora sexual/vendedora nas sex shops Good Vibrations e She Bop e desde então não tira sexo da cabeça. Ela se empolga ao falar sobre lubrificante, pratica frequentemente para alcançar a perfeição e apenas quer que você tenha um orgasmo. A sabedoria sexual da Yana já apareceu muitas vezes nas páginas da Valley Advocate e também pode ser encontrada na Curve, Bitch, Autostraddle.com e The Toast. Você pode encontrá-la no Facebook e no Instagram @the_vspot.

(Visited 32 times, 1 visits today)

Comments are closed.