10 espectros de privilégio que colocam outros LGBTIs abaixo de mim socialmente

10 espectros de privilégio que colocam outros LGBTIs abaixo de mim socialmente

Be first to like this.

Esses 10 espectros de privilégio estão, indiretamente, impedindo que outros LGBTIs tenham uma vida com mais oportunidades. Este texto reflete a análise pessoal que fiz sobre ser LGBTI e ter privilégios. Ele é um convite, no mês da diversidade, para entender sobre como a falta de coisas que são necessidades básicas na vida de todo indivíduo, afetam diretamente a sua garantia de vida. A lista abaixo é inspirada na matéria “Teste seus privilégios brancos” publicado pelo Catraca Livre.

Com estes 10 privilégios, eu garanto que não serei barrado na porta giratória do banco, aumento muito minhas chances em entrevista de emprego, diminuo muito as chances de ser agredido fisicamente no metrô ou nas ruas, posso tratar quaisquer doenças que me acometam e poder viver mais, serei sempre bem atendido em lojas, receberei convites para locais, festas, eventos, dificilmente passarei fome, sede, nem mesmo vontade, se for preso, terei mais chances de ter um defensor público, na verdade, raramente devo ser preso por alguma razão, terei amigos, mais chances de namorar e não sofrer de solidão e sempre serei visto como um alguém normal “apesar de ser gay”.

Dados do MDDH

Neste mês da diversidade, que todos nós, pessoas com privilégios, entendamos que LGBTIs negros, pobres, não-cis (afeminados ou masculinizados), estão sujeitos a viver uma vida miserável e a ter suas vidas encurtadas por razões puramente políticas e sociais. Entendamos nosso lugar, posicionemo-nos a dar espaço a essas pessoas e alimentemo-nos da prática da empatia para que elas consigam ter as mesmas chances.

Já pensou sobre quais são seus privilégios e de que forma eles excluem outros LGBTI de ter uma vida com as mesmas oportunidades?

Foto de capa: Super Pride

Related Stories

Como vai ser a velhice LGBT? É melhor viver o agora
Jovem gay agredido a pedradas em festival faz relato emocionante, leia
LGBT militante é uma obrigação ou dá para se posicionar diferente? (vídeo)
Aprendizado: 6 coisas que mudaram minha vida na Parada LGBT de São Paulo em 2019
Quantcast