Alexandre Garcia
Alexandre Garcia

Alexandre Garcia compara distribuição de camisinhas a campanhas de assédio

Alexandre Garcia causou revolta nas redes sociais no sábado de carnaval ao criticar campanhas de assédio contra a mulher durante as festas e blocos. O jornalista, que já vem se envolvendo em polêmicas não é de agora, fez um comentário em seu programa sobre a campanha divulgada pela Polícia Militar do Rio e a comparou com o ato de distribuir camisinhas durante a festa.

“Fico pensando na perplexidade dos foliões, entre dois estímulos: primeiro, distribuem camisinhas; depois, alertam que assédio é crime.”, escreveu em resposta ao alerta da PM que o “não” das mulheres devem ser respeita no momento das investidas na folia.

Segundo o IG, as campanhas que o jornalista Alexandre Garcia se refere são do combate ao assédio e ao abuso sexual e àquela de prevenção de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), comum todos os anos na época do carnaval.

A comparação incomodou muitos internautas, que explicaram ao apresentador a diferença entre sexo consentido e violência sexual. “Perplexo a gente fica de o senhor não saber a diferença entre sexo e assédio.”, ironizou uma usuária do Twitter. “Claro, porque pegar camisinha que é uma PROTEÇÃO contra ISTs significa dar passe livre pra sermos estupradas e assediadas. Nada de novo na lógica de fascista machista.”, disse outra.

“Prova viva que cabelo branco não é sinônimo de sabedoria. Olha, meu anjo, gostaria muito que você explicasse a relação de uma coisa e outra segundo a tua visão. Praticamente impossível sem assumir uma mentalidade assediadora.”, concluiu um terceiro.

Alexandre Garcia presta um grande desserviço à população com esse tipo de comentário, porque vivenciamos uma diminuição de campanhas preventivas, o que tem causado grande impacto na saúde.

Comments are closed.