Ativistas LGBTIs criam grupo
Ativistas LGBTIs criam grupo

Ativistas LGBTs criam grupo no Facebook contra Bolsonaro após sucesso de grupo de mulheres

Ativistas LGBTIs criam grupo no Facebook na carona das mulheres contra o candidato homofóbico e misógino Jair Bolsonaro. O sucesso do grupo das meninas é tão grande que já conta com mais de 2 milhões de participantes. O dos LGBTIs já tem cerca de 200 mil.

Criado no Facebook na última segunda-feira (10/09), o grupo “Sou LGBT+ e tô na rua contra o Bolsonaro e o fascismo” conta inclusive com a participação de artistas pró-LGBTI que não hesitaram em dar apoio ao seu público.

O “grupo é destinado a todos os LGBTI+ e todos que apoiam nossas causas na luta contra o candidato de extrema-direita que já disse preferir ter um filho morto a um homossexual”, diz a bio do grupo. Antes de entrar, é preciso responder a algumas perguntas e esperar a análise do administrador do grupo. Além disso, a rede faz algumas exigências aos membros, como ser LGBT+ ou simpatizante ao movimento, ser contra o Bolsonaro, não promover discurso de ódio, bullying ou discriminação política, e não divulgar spam, promoção ou fake news.

Nesta semana, o grupo “Mulheres Unidas contra Bolsonaro” também ganhou destaque no Facebook, somando mais de 1,1 milhão de participantes na rede social. Criado no dia 30 de julho o grupo possui um único objetivo: se posicionar a favor de seus direitos e contra Bolsonaro, conhecido por declarações e atos machistas.

Tentaram de toda forma espalhar fake news sobre os grupos dizendo que a página das manas era a antiga página Gina Indelicada, mas o administrador da página desmentiu e disse que sua página nunca mudou de nome, nem foi comprada por feministas.