Augusto Aras, indicado de Bolsonaro à PGR, assina termo contra casamento gay

Augusto Aras, indicado de Bolsonaro à PGR, assina termo contra casamento gay

Be first to like this.

Augusto Aras, indicado por Jair Bolsonaro para ser o próximo procurador-geral da República, assinou um termo de compromisso com a Associação Nacional de Juristas Evangélicos (Anajure) para proibir o casamento gay e o poliamor, caso ocupe o cargo. A informação foi revelada na manhã desta terça-feira (10), pelo jornal Estadão.

No documento, Augusto Aras se compromete a preservar a instituição familiar como “heterossexual e monogâmica, (…) não devendo as uniões poliafetivas ser registradas publicamente como casamento”. Ele também promete defender projetos como o Escola Sem Partido, ser contra o aborto e “repudiar a perseguição de cristãos”.

O próprio Bolsonaro assinou termo similar com a Igreja Católica durante sua campanha eleitoral. No documento, de outubro do ano passado, ele se comprometeu a defender o casamento como “o verdadeiro Matrimônio, entre homem e mulher”. Após a posse, o presidente já fez inúmeras declarações homofóbicas “a favor da família”.

Ao lado de representante do Voto Católico Brasil, Jair Bolsonaro segura termo de compromisso contra LGBTs (Foto: Reprodução | Facebook)

O procurador-geral da República é a pessoa responsável por representar o interesse público no Supremo Tribunal Federal e no Superior Tribunal de Justiça, dentre outras funções. Hoje, o cargo é ocupado por Raquel Dodge.

No último fim de semana, foi Dodge quem recomendou ao STF que proibisse a decisão de Marcelo Crivella em censurar os quadrinhos de “Vingadores – A cruzada das crianças” na XIX Bienal Internacional do Livro. Mas a atitude de Crivella saiu pela culatra, porque sua tentativa de proibição e censura acabou por alavancar em mais de 400% as vendas de livros LGBT durante a Bienal. Sem contar no ato solitário do blogueiro Felipe Neto que distribuiu 14 mil livros ao público participante da feira.

Related Stories

Bienal do Livro do Rio se posiciona após tentativa de censura de Crivella
Deputada evangélica distribui livros LGBTfóbicos para espalhar sua intolerância
Presidente da Centauro declara apoio a Bolsonaro e sofre boicote de LGBTIs
Bolsonaro diz que decisão de crime de homofobia dificultará emprego a homossexuais
Quantcast