Casal gay baleado em Miami após beijo sobrevive, mas uma está estado crítico

Casal gay baleado em Miami após beijo sobrevive, mas uma está estado crítico

Be first to like this.

Casal gay baleado em Miami sobreviveu a um ataque na noite do último dia 15. Uma das vítimas está atualmente em estado crítico. Clive Khouri, acredita que ele e seu namorado foram baleados depois de serem vistos se beijando no carro.

Uma mulher lésbica, Shakena Jefferson, também foi ferida no ataque quando uma bala passou de raspão por sua cabeça enquanto ela entrava em um carro com sua esposa. Khouri e Jefferson foram tratados de seus ferimentos e liberados.

Segundo o Gay Times, Khouri disse: “Quando tentei acelerar para virar a esquina, eles continuaram tentando atirar, atirar, atirar. Alguns dos caras provavelmente nos viram nos beijando no carro”.

A esposa de Jefferson, Janet Medley, disse: “Minha esposa levou um tiro na cabeça. Duas balas saíram direto da cabeça dela e eu estava de pé aqui ao lado do carro da minha filha. “O barulho das balas estava voando pelo meu ouvido”.

O detetive Alvaro Zabaleta disse: “Um a dois, ou possivelmente três veículos se aproximaram daquele carro e abriram fogo”. O departamento de polícia confirmou que o ataque é um crime de ódio e homofobia.

Dados do FBI mostram que dos 7.120 crimes de ódio cometidos nos Estados Unidos em 2018, quase um em cada cinco deles foi motivado por um “viés anti-LGBTQ”. Desses incidentes, as pessoas foram alvo por causa de sua orientação sexual 1.196 vezes, enquanto 168 foram alvo por causa de sua identidade de gênero.

Dividindo ainda mais os números, 726 homens foram alvejados por serem gays, 129 mulheres por serem lésbicas, 303 por serem LGBTQ e 21 pessoas por serem bissexuais. Outras 17 pessoas foram alvo porque eram heterossexuais.

Enquanto isso, 142 pessoas foram alvejadas por causa de sua identidade trans, enquanto 26 foram alvejadas por causa de sua identidade não conforme de gênero.

Quantcast