ditadura gay
ditadura gay

Grupo Cia. dxs Terroristas instaura Ditadura Gay em São Paulo

Nem Adoniran Barbosa imaginaria que o bairro do Jaçanã, imortalizado por ele na música “Trem das Onze”, se tornaria um local extremamente conservador e de risco para a comunidade LGBT da região. Como resposta ao fundamentalismo dessa área, a Companhia dxs Terroristas apresenta o projeto “Ditadura Gay”, que propõe uma série de ações e diálogos em diversos espaços públicos da zona norte com artistas locais e de outras regiões da cidade.

ditadura gay

O projeto DITADURA GAY parodia uma inversão das relações de poder através da aglutinação de signos globais e regionais num pastiche que objetiva empoderar o oprimido e satirizar o opressor. É o desdobramento de uma pesquisa estético-política que objetiva se contrapor aos conteúdos do projeto cisheteronormativo hegemonicamente instaurado, desdobrando esse olhar para uma prática contranormativa de linguagem, ou seja, a investigação de (não) lugares excluídos do centro de preocupação das artes, para produções de narrativas transmídia como contraposição estético-criativa às linguagens dominantes (teatro, dança, música etc.) ou a sua re/des-configuração.

 

#DITADURAGAY é um convite ao front de guerra do território pós-colonial em que o projeto cisheteronormativo atua como fantasia atualizada no marco do colapso da colônia.

 

Ao todo, três rodas de conversa, três intervenções urbanas, uma exposição, publicação de uma HQ e uma performance cênica, apresentadas entre abril e junho de 2018. Todas as atividades têm o intuito de fortalecer uma rede de resistência construída por meio de ações poético-anarquistas, como forma de “enviadescer” os espaços e fazer a comunidade LGBT coexistir em locais públicos com população geral sem a necessidade de criar ou reforçar guetos excludentes.

 

ditadura gay

A “Ditadura Gay” é uma ficção distópica apresentada nesses espaços como reflexão urgente da voz ativa da comunidade LGBT. A ideia nasceu após as famosas falas de políticos ligados à bancada da bíblia, em que afirmam que estamos vivendo ou caminhando para uma ditadura gayzista. O projeto é contemplado pelo Programa Municipal de Valorização de Iniciativas Culturais – VAI.

Toda a programação é gratuita, apresentada em espaços públicos e conta com convidados ícones e ativistas do universo LGBT, como Inês Brasil, Buzz Marcitelli, Mc Dellacroix e o grupo Mães Pela Diversidade.

Confira a programação completa no site.