festival popporn
festival popporn

Festival PopPorn chega a sua 8ª edição. Confira programação

Festival PopPorn rola neste fim de semana com sua já tradicional celebração à cultura erótica. O festival que chega a sua oitava acontece no Centro Cultural Rio Verde, em São Paulo, o tema desse ano é “Descubra-se”, com sete horas de exibição de filmes adultos dirigidos por mulheres e debates sobre sexualidade, pornografia e o espaço da mulher na sociedade.

Festival PopPorn

Durante o Festival PopPorn acontecerão três workshops: Shibari (fetiche da amarração) com Toshi San, Pornô Faça Você Mesmo – Feito por Mulheres e Negócios Digitais e o Mercado Adulto. “Este ano, priorizamos uma programação dinâmica, atual, com recortes polêmicos e que precisam ser discutidos para a evolução da sexualidade no Brasil”, afirma May Medeiros, colaboradora do festival.

Toda a programação é gratuita, com exceção das que têm valores indicados. Menores de 18 anos são proibidos.

 

Confira a programação completa:

Sábado, 09/06

13h às 15h – Debate – A pornografia oprime ou liberta?
Há quem defenda que a pornografia é fonte de violência, abusos e que está por trás da causa comportamentos sexuais errados. É possível existir uma pornografia capaz de contrariar essa visão? Há também quem goste de pornografia e enxergue nela uma possibilidade de liberar fantasias e ganhar um repertório sexual mais livre e variado. Diante de uma realidade virtual em que o acesso ao pornô gratuito é cada vez mais fácil, discutir essas questões se torna fundamental.  Mediadora: Marie DeClercq. Com Jorge Leite Jr, André Garcia e Erika Natasha.

 

13h às 15h – Workshop – Shibari com Toshi San e monitoria da shibarista Engel
O mais antigo e mais popular dos workshops do PopPorn está de volta, venha aprender com Toshi San os primeiros passos para a mais divertida das brincadeiras eróticas: o Shibari. A arte de amarrar o parceiro ou parceira antes, durante ou depois do sexo. R$ 50 no Eventbrite.

 

15h30 às 17h30 – Workshop – Pornô Faça Você Mesmo – Feito por Mulheres
Com equipe Xplastic. Muito se fala sobre pornô feito por mulheres. Chegou a hora de conhecer na prática como um grupo de mulheres estão construindo suas histórias em uma parcela do mercado adulto. Esta edição o “Pornô faça você mesmo” será com a equipe da Xplastic. Conhecida por filmes disponíveis no projeto SexyHot Produções do canal de TV pago brasileiro Sexy Hot, na plataforma de filmes Lust, da diretora Erika Lust e na plataforma holandesa de curadoria feminina Dusk TV. Uma equipe exclusivamente feminina mostrando como podemos repensar o pornô. R$ 50 no Eventbrite.

 

16h às 18h – Debate – O que é ser homem na atualidade?
É possível ser macho e ao mesmo tempo não ser um ativo praticante de machismo? Como os homens se sentem diante das mudanças já estabelecidas e em curso sobre a masculinidade? Apontar o machismo se tornou prática comum e as críticas ao feminismo também. A figura do “macho desconstruído” surgiu e vem ganhando forma. Todas essas questões poderão ser debatidas de diferentes pontos de vista, inclusive com experiências pessoais dos participantes e do público. Mediadora: Carol Parreiras – Com Amauri Gonzo, Edy – Manual do Homem Moderno e Tulio Augusto Custódio.

 

18h às 20h – Workshop – Negócios digitais e o mercado adulto
Com DreadHot e Alemão, Apis3 Play, Sweetlicious e SexLog. Como a indústria pornô sobrevive nos tempos da internet e do conteúdo gratuito? Para responder essa e outras perguntas vamos conversar com um casal de webstrippers que também atuam no mercado de filmes pornográficos, e com pessoas que trabalham diretamente com negócios digitais e mercado adulto.

 

23h30 – Festa – PopPorn Party
DJs Victor Miranda, Ledah, Mirands, Duda DelloRusso. Pista eletrônica: Gezender, Mari Herzer, Rafael Moura. R$ 20 a R$ 40. Rua Álvaro de Carvalho, 380, Bela Vista.

 

Domingo, 10/06

13h às 15h – Debate – Construção da feminilidade cis e trans
As vivências de quem sofre com o machismo serão discutidas por mulheres que expressam de formas diferentes seus gêneros e orientações sexuais. O processo de “ser mulher”, seja dado pelo nascimento ou pela transição de gênero, é permeado por etapas e rotinas: elas empoderam ou oprimem? Como lidar com críticas que vêm de todos os lados, muitas vezes de dentro de movimentos que lutam por direitos? As convidadas e o público poderão contar suas experiências e dar opiniões. Mediadora: Ana Maria Madeira. Com Bibi Abigail, Ledah e Daiane Novaes.

 

14h – Filmes

Amores Líquidos, de Carolina Albuquerque e Isadora Vieira Brasil (Brasil, 5′).

Latifúndio, de Erica Sarmet Brasil (Brasil, 12′).

Melhor Amiga, Pelada e com Medo, de Aorta (EUA, 10′)

As Lésbicas do Lower East Side, de Alyx (EUA, 18′)

Boquete 2017: Tela Dividida, de Charles Lum e Todd Verow (EUA, 5′)

 

14h55 – Filme

O Encontro, de May (Sexy Hot / Brasil, 44′)

 

15h45 – Filme

Chega de Fiu Fiu, de Amanda Kamanchek e Fernanda Frazão (Brasil, 73′)

Cidade Queer, de Danila Bustamante (Brasil, 36)

 

16h às 18h – Debate – Leis que afetam a pornografia e o sexo
Direito à vida, à morte, às expressões de gênero e ao sexo são regulados pelos que fazem e executam as leis. Mudanças recentes na legislação dos Estados Unidos, consequências de projetos de lei conhecidos como Fosta-Sesta, que em teoria deveriam dificultar a ação do tráfico sexual, estão afetando negativamente trabalhadores sexuais que usam a internet como meio de divulgação.

 

17h35 – Filme

Landlocked, de Lívia Cheibub (Brasil, 48′)

 

18h30 – Roda de conversa com diretoras e produtoras de conteúdo +18
Danila Bustamante, Erica Sarmet, Lívia Cheibud, May Medeiros, Mayumi Sato e Sue Nhamandu

Haverá ainda Flash Tatoo com Thamu Candylust, área de alimentação, Feira Pupiz de publicações, produtos independentes e zines e leitura de contos eróticos com Clarice Falcão.

 

O festival rola no Centro Cultural Rio Verde – Rua Belmiro Braga, 119 – Vila Madalena