Festival PopPorn chega a sua 8ª edição. Confira programação

Festival PopPorn chega a sua 8ª edição. Confira programação

Be first to like this.

Festival PopPorn rola neste fim de semana com sua já tradicional celebração à cultura erótica. O festival que chega a sua oitava acontece no Centro Cultural Rio Verde, em São Paulo, o tema desse ano é “Descubra-se”, com sete horas de exibição de filmes adultos dirigidos por mulheres e debates sobre sexualidade, pornografia e o espaço da mulher na sociedade.

Durante o Festival PopPorn acontecerão três workshops: Shibari (fetiche da amarração) com Toshi San, Pornô Faça Você Mesmo – Feito por Mulheres e Negócios Digitais e o Mercado Adulto. “Este ano, priorizamos uma programação dinâmica, atual, com recortes polêmicos e que precisam ser discutidos para a evolução da sexualidade no Brasil”, afirma May Medeiros, colaboradora do festival.

Toda a programação é gratuita, com exceção das que têm valores indicados. Menores de 18 anos são proibidos.

 

Confira a programação completa:

Sábado, 09/06

13h às 15h – Debate – A pornografia oprime ou liberta?
Há quem defenda que a pornografia é fonte de violência, abusos e que está por trás da causa comportamentos sexuais errados. É possível existir uma pornografia capaz de contrariar essa visão? Há também quem goste de pornografia e enxergue nela uma possibilidade de liberar fantasias e ganhar um repertório sexual mais livre e variado. Diante de uma realidade virtual em que o acesso ao pornô gratuito é cada vez mais fácil, discutir essas questões se torna fundamental.  Mediadora: Marie DeClercq. Com Jorge Leite Jr, André Garcia e Erika Natasha.

 

13h às 15h – Workshop – Shibari com Toshi San e monitoria da shibarista Engel
O mais antigo e mais popular dos workshops do PopPorn está de volta, venha aprender com Toshi San os primeiros passos para a mais divertida das brincadeiras eróticas: o Shibari. A arte de amarrar o parceiro ou parceira antes, durante ou depois do sexo. R$ 50 no Eventbrite.

 

15h30 às 17h30 – Workshop – Pornô Faça Você Mesmo – Feito por Mulheres
Com equipe Xplastic. Muito se fala sobre pornô feito por mulheres. Chegou a hora de conhecer na prática como um grupo de mulheres estão construindo suas histórias em uma parcela do mercado adulto. Esta edição o “Pornô faça você mesmo” será com a equipe da Xplastic. Conhecida por filmes disponíveis no projeto SexyHot Produções do canal de TV pago brasileiro Sexy Hot, na plataforma de filmes Lust, da diretora Erika Lust e na plataforma holandesa de curadoria feminina Dusk TV. Uma equipe exclusivamente feminina mostrando como podemos repensar o pornô. R$ 50 no Eventbrite.

 

16h às 18h – Debate – O que é ser homem na atualidade?
É possível ser macho e ao mesmo tempo não ser um ativo praticante de machismo? Como os homens se sentem diante das mudanças já estabelecidas e em curso sobre a masculinidade? Apontar o machismo se tornou prática comum e as críticas ao feminismo também. A figura do “macho desconstruído” surgiu e vem ganhando forma. Todas essas questões poderão ser debatidas de diferentes pontos de vista, inclusive com experiências pessoais dos participantes e do público. Mediadora: Carol Parreiras – Com Amauri Gonzo, Edy – Manual do Homem Moderno e Tulio Augusto Custódio.

 

18h às 20h – Workshop – Negócios digitais e o mercado adulto
Com DreadHot e Alemão, Apis3 Play, Sweetlicious e SexLog. Como a indústria pornô sobrevive nos tempos da internet e do conteúdo gratuito? Para responder essa e outras perguntas vamos conversar com um casal de webstrippers que também atuam no mercado de filmes pornográficos, e com pessoas que trabalham diretamente com negócios digitais e mercado adulto.

 

23h30 – Festa – PopPorn Party
DJs Victor Miranda, Ledah, Mirands, Duda DelloRusso. Pista eletrônica: Gezender, Mari Herzer, Rafael Moura. R$ 20 a R$ 40. Rua Álvaro de Carvalho, 380, Bela Vista.

 

Domingo, 10/06

13h às 15h – Debate – Construção da feminilidade cis e trans
As vivências de quem sofre com o machismo serão discutidas por mulheres que expressam de formas diferentes seus gêneros e orientações sexuais. O processo de “ser mulher”, seja dado pelo nascimento ou pela transição de gênero, é permeado por etapas e rotinas: elas empoderam ou oprimem? Como lidar com críticas que vêm de todos os lados, muitas vezes de dentro de movimentos que lutam por direitos? As convidadas e o público poderão contar suas experiências e dar opiniões. Mediadora: Ana Maria Madeira. Com Bibi Abigail, Ledah e Daiane Novaes.

 

14h – Filmes

Amores Líquidos, de Carolina Albuquerque e Isadora Vieira Brasil (Brasil, 5′).

Latifúndio, de Erica Sarmet Brasil (Brasil, 12′).

Melhor Amiga, Pelada e com Medo, de Aorta (EUA, 10′)

As Lésbicas do Lower East Side, de Alyx (EUA, 18′)

Boquete 2017: Tela Dividida, de Charles Lum e Todd Verow (EUA, 5′)

 

14h55 – Filme

O Encontro, de May (Sexy Hot / Brasil, 44′)

 

15h45 – Filme

Chega de Fiu Fiu, de Amanda Kamanchek e Fernanda Frazão (Brasil, 73′)

Cidade Queer, de Danila Bustamante (Brasil, 36)

 

16h às 18h – Debate – Leis que afetam a pornografia e o sexo
Direito à vida, à morte, às expressões de gênero e ao sexo são regulados pelos que fazem e executam as leis. Mudanças recentes na legislação dos Estados Unidos, consequências de projetos de lei conhecidos como Fosta-Sesta, que em teoria deveriam dificultar a ação do tráfico sexual, estão afetando negativamente trabalhadores sexuais que usam a internet como meio de divulgação.

 

17h35 – Filme

Landlocked, de Lívia Cheibub (Brasil, 48′)

 

18h30 – Roda de conversa com diretoras e produtoras de conteúdo +18
Danila Bustamante, Erica Sarmet, Lívia Cheibud, May Medeiros, Mayumi Sato e Sue Nhamandu

Haverá ainda Flash Tatoo com Thamu Candylust, área de alimentação, Feira Pupiz de publicações, produtos independentes e zines e leitura de contos eróticos com Clarice Falcão.

 

O festival rola no Centro Cultural Rio Verde – Rua Belmiro Braga, 119 – Vila Madalena

Related Stories

9º Festival PopPorn traz workshops, filmes e debates sobre sexualidade
Homens Héteros Estão Assistindo Pornô Gay
Um novo estudo diz que os homens que veem mais pornografia têm mais dificuldades sexuais
Homens héteros assistem mais pornografia gay do que pensamos
Quantcast