Homens héteros assistem mais pornografia gay do que pensamos

This post is also available in: English Español Français

O site pornô YouPorn recentemente pesquisou seus usuários heterossexuais identificando seus hábitos de visualização por pornografia e descobriu que 23% de seu público é identificado com homem heterossexual que assiste pornô gay. Descobriu também que 24% de seus usuários heterossexuais admitiram ter relações sexuais com outro homem. Esta estatística particular de homossexualidade revela algo que já conhecemos: a fluidez sexual e a bissexualidade nos cercam mais do que pensamos, independentemente de como esses homens se auto-identificam.

Este não é o primeiro estudo de homens heterossexuais que assistem pornografia gay. Um estudo de 2016 com 821 homens homossexuais, heterossexuais e bissexuais revelou que 21% dos rapazes curtem pornografia gay (e 55% dos homossexuais assistem a pornografia hétero).

Na época, assumimos que homens heterossexuais gostam de assistir pornografia gay, porque, como a pornografia hétero, o foco é em grande parte na excitação masculina. Quando você considera o quanto a pornografia hétero se concentra nos pênis dos homens e quanto mais facilmente acessível é o pornô gay, você entenderá por que tantos homens gays assistem.

straight men gay porn 02
gay porn stars from the Blatino Erotica Awards, image by Joe Hawkins

Mas por que homens héteros estão vendo pornografia gay?

Em seu controverso livro de 2015 “Não Gay: Sexo entre homens brancos heterossexuais”, a autora Jane Ward disse que muitos homens heterossexualmente identificados assistem pornografia gay e fazem sexo com homens enquanto ainda se identificam como heterossexuais por várias razões. Basicamente, como as pessoas homossexuais foram mais aceitas pela sociedade americana, homens heterossexuais fizeram amigos homossexuais e aprenderam que podem expressar carinho físico com os homens, sem que ele ameace sua identidade sexual.

“Não se trata apenas de ver e se masturbar vendo pornografia, mas também de exibir uma versão da sexualidade heterossexual, mais heteroflexível” Lyon escreveu. “Sou eu dizendo que tudo bem você se envolver nesses tipos de cenários em torno de mulheres e homens, e não sentir sua sexualidade ser ameaçada”.

Caras heterossexuais que querem transar com outros caras sem o estigma social do rótulo se identificam como “mais hétero” (mais do que bissexual,” que alguns consideram “muito gay”). Outros apenas chamam seus encontros sexuais de “broderagem” ou “pegação entre machos.”

O que você acha dessa estatística? Concorda com os dados? Comente.