Rafael, o #HornetGuy da semana, se levanta contra a discriminação de caras afeminados

Rafael, o #HornetGuy da semana, se levanta contra a discriminação de caras afeminados

Be first to like this.

This post is also available in: English Español Français ไทย Türkçe

Conheça o #HornetGuy desta semana, Rafael, de 20 anos, um estudante de São Paulo. Ele é muito interessado em política e gosta de socializar pela cidade nos fins de semana, que é também quando ele tem tempo para se conectar com sua família.

“Meu fim de semana perfeito inclui almoçar com minha família”, ele diz, “e à tarde sair para um parque com os amigos. À noite eu vou a festas”. Ele mora com sua mãe e seu cachorro em um apartamento na zona leste.

Rafael se descreve como indiscreto, ou seja, ele é alguém que vive e se expressa autenticamente como uma forma de desafiar aqueles que discriminam os caras mais afeminados. “#FemmeRules!” ele diz.

Rafael descreve sua própria visão política para o Brasil e diz que tem medo. “Eu não estou bem com o status político atual”, diz ele, referindo-se às políticas de divisão ocasional que tornam difícil o Brasil lidar com questões maiores como a economia e o sistema de imigração.

Rafael é usuário de Hornet há cerca de três anos. “Estou procurando por tudo: uma amizade e talvez um encontro”. Ele diz que gosta que no Hornet permite que os caras compartilhem várias fotos, e ele curte decidir com quem vai falar pelos álbuns.

Mais importante, Rafael é um cara super legal. “Por mais que pareça sério, sou uma pessoa que adora ver o bem das outras pessoas”, diz ele.

Uma vez ele conheceu um cara no Hornet que estava lidando com abuso homofóbico em casa. Como eles conseguiram se conectar, Rafael conseguiu ajudar o jovem a sair da casa. “Eu gosto de ajudar as pessoas com qualquer coisa possível”, diz ele.

Quer ser um de nossos #HornetGuy? Basta se cadastrar aqui.

Related Stories

SURTO: Bolsonaro faz piada homofóbica no MA: ‘virei boiola, igual maranhense’
Casal gay poderá levar 100 chicotadas por “orientação sexual ilegal” na Indonésia
Ana Carolina Apocalypse revela por que transicionou de gênero só na 3ª idade
Estudo de vacina preventiva ao HIV busca voluntários no Brasil
Quantcast