Homem gay fez celibato por um ano para que pudesse doar sangue

This post is also available in: English

Em 2015, Jordan Moll-Vigrass foi proibido de doar sangue só porque é gay. Nesse mesmo ano o FDA atualizou sua proibição vitalícia de homens gays para doação de sangue (instaurado em 1983) e, em vez disso, exigia que os gays se abstivessem sexualmente durante um ano inteiro antes de serem autorizados a doar. Mas para aumentar a conscientização sobre a política discriminatória do FDA, ele fundou a Blood Is Blood, uma organização que procura revogar a proibição de doação de sangue anti-gay. Ele também doou sangue depois de ficar celibatário por um ano.

Jordan Moll-Vigrass, agora com 22 anos, diz que era celibatário – abstendo-se de sexo gay por um ano — apenas para que ele pudesse doar. Essa semana ele doou sangue no Gay Alliance Blood Drive no quartel-general da Cruz Vermelha Americana em Buffalo, Nova York.

“Não há nada que eu possa dizer ou fazer para provar que permaneci celibatário além de dizer que fui. Posso dizer que no ano passado foi muito difícil” Moll-Vigrass recentemente disse à rádio WBFO. “Pedir que alguém permaneça celibatário é muito difícil, especialmente alguém que tem 22 anos. Eu tive que cortar relacionamentos e coisas desse tipo”.

Jordan Moll-Vigrass 03
Jordan Moll-Vigrass falando em uma manifestação de 2015 contra a proibição do sangue gay

Ele continua: “Houve momentos em que me senti muito isolado porque tinha que me manter distante das pessoas pelas quais posso ter sentimentos apenas porque queria permanecer celibatário e como isso era importante para mim”.

Sendo ele portador de uma condição hepática em estágio três, Jordan Moll-Vigrass sabe que ele próprio provavelmente precisará de doação de sangue e um transplante de fígado em algum momento durante sua vida.

A proibição de doação de sangue para gays não faz nenhum sentido, cientificamente falando. O HIV pode ser detectado no sangue nove dias após ter sido transmitido a outra pessoa, e o FDA testa todo o sangue doado antes de distribuí-lo para uso.

A proibição do sangue aplica-se a homens que fazem sexo com homens, bem como mulheres que dormiram com esses homens. Estima-se que o levantamento da proibição de doação de sangue gay aumentaria o suprimento de sangue do país em mais de meio milhão de litros.

O que você acha da decisão de Jordan Moll-Vigrass? Deixe um comentário.