Madonna
Madonna

Madonna será embaixadora de associação que defende os direitos de LGBTI em 2019

Madonna foi anunciada pela Stonewall Inn, que no próximo ano faz 50 anos, como a embaixadora da organização para 2019. A cantora, que atualmente reside em Portugal, pelo apoio incondicional que tem dado à causa destas minorias, oi escolhida unanimemente. “Ela ajudou a massificar a cultura homossexual”, elogia Matt Cain, membro da associação.

Madonna, que atualmente reside em Lisboa, vai também desempenhar funções na associação nova-iorquina que defende os direitos de lésbicas, gays, bissexuais e transgénero (LGBT). “Rebelde. Pioneira. Rompe barreiras. Desbravadora. Ícone. Ativista. Mãe. Aliada. Embaixadora [da]Stonewall. Hoje, estamos insanamente orgulhosos de anunciar que Madonna é embaixadora da Stonewall [em 2019], apoiando o Stonewall Day no quinquagésimo aniversário da Stonewall!”, diz o anúncio oficial que a instituição, criada no seguimento da rebelião de 28 de junho de 1969, fez nas redes sociais.

Confira o post do anúncio:

Madonna

A data marca o dia em que, cansados das invasões da polícia de Nova Iorque aos bares que eram frequentados pelos membros da comunidade LGBT, muitos deles presos e/ou vítima de represálias por parte das autoridades, se reuniram no bar Stonewall Inn para exigir o fim das perseguições.

Os tumultos prolongaram-se por vários dias e acabariam, mais tarde, por dar origem ao Christopher Street Liberation Day, a concentração na génese do movimento que promove o Orgulho Gay, também conhecido como Orgulho LGBT.

O anúncio do nome da cantora foi recebido nas redes sociais com entusiasmo. “Ela ajudou a massificar a cultura homossexual”, elogia Matt Cain, editor executivo da revista Attitude. “Muita gente esquece-se disso mas ela teve um papel crucial nisso. Ela não é lésbica, mas, desde o início, sempre falou nos homossexuais que estavam presentes na vida dela, como foi o caso do seu mentor, o seu professor de dança, Christopher Flynn”, refere.

Rainha é rainha, né, amores.