Mãe tatua arco-íris
Mãe tatua arco-íris

Mãe tatua arco-íris e frase “Amor é amor” em homenagem a filhas transexuais

Uma mãe tatua arco-íris e frase “amor é amor” em inglês (love is love) para homenagear suas filhas transexuais e viraliza na web. Quem compartilhou a foto da tatuagem da mãe foi Rafaella Mendes, uma mulher trans. Em seu relato no Facebook, ela contou a história de amor e cumplicidade entre ela, sua mãe e as irmãs.

A mineira Maria Mendes, 52 anos, da cidade de Paraoapeba, a 100 quilômetros de Belo Horizonte, resolveu fazer sua primeira tatuagem em um pequeno estúdio da cidade. Em entrevista ao GLOBO, ela ressaltou que acredita em “toda forma de amor”. “É amor e pronto. Eu falei para minhas filhas: ‘Se vocês vão ficar felizes, eu vou ficar também’. Há muitas mães e muitos pais com preconceito com os próprios filhos. Esse é o pior preconceito, aquele que ocorre dentro de casa”, disse.

Maria contou que Rafaella, sua filha do meio, demonstrava traços de personalidade feminina desde criança e que a transição de gênero dela ocorreu de uma forma muito natural, assim como aconteceu com sua filha mais velha, de 27 anos. Rafaella assumiu sua identidade de gênero aos 12 anos, e não a surpreendeu. “Percebi que a Rafaella não era muito masculina. Gostava de brincar com minha maquiagem e usar meus sapatos. Os olhos dela brilhavam. A transição foi acontecendo tão natural. A gente percebe, sabe?”, conta.

A mineira explicou que decidiu fazer a tatuagem como uma demonstração de amor para suas filhas. No entanto, para Rafaella, a atitude vai muito além do amor materno. “E ela foi contra a vontade do marido! Ele é meio conservador com relação à tatuagem, mas depois que viu o resultado acabou gostando”, disse Rafaella, acrescentando que sempre foi “muito bem aceita” por toda a família. Confira post:

“Somos em 3 irmãs. Fernanda, eu e Bruna. Fernanda e eu somos MULHERES TRANSEXUAIS. E a nossa mãe sempre nos apoiou. Sempre esteve do nosso lado e sempre nos disse que amor é amor acima de qualquer coisa. Que a nossa felicidade é o que importa. E hoje não somente pra mim e minha irmã, mas também pra todas as pessoas LGBT+ ela fez essa linda tatuagem. Provando mais uma vez que o amor é amor acima de tudo. Acima de todos. Foi a primeira tatuagem dela. A primeira vez que ela entra em um estúdio de tattoo. Ela aguentou firme, sem reclamar de dor. Assim como fez, e faz todas as vezes que as pessoas apontam o dedo pra minha irmã e eu. Assim como ela sempre ouve palavras maldosas e as engole. Assim como ela sempre vê olhares tortos e disfarça”