Como é morar com o ex? É possível e quais razões nos levam a isso?

Como é morar com o ex? É possível e quais razões nos levam a isso?

Be first to like this.

Morar com o ex é uma realidade para muitos casais gays que, depois de um tempo de relacionamento, morando juntos, acabam por se deparar com a situação de que um dos dois não tem para onde ir inicialmente ou um dos dois não consegue pagar sozinho o apartamento em que moravam.

Quando o relacionamento acaba, por vezes nenhum dos dois havia pensado em  ter uma estrutura para a eventualidade da separação, porque ninguém se junta pensando em separar, certo? O fato é que a decisão de permanecer juntos dentro da casa por um tempo depende diretamente da forma como essa relação chegou ao fim.

A maturidade e o processo de separação vai definir se é possível ter convivência por um tempo até que aquele que precise sair consiga se estabelecer. Naturalmente que quando a coisa foi conturbada, 1 semana pode se tornar 1 mês e 1 mês pode ter o valor de 6 meses.

Mas morar com o ex não é sempre um sentimento de “que horas isso vai acabar”, visto que muitos casais podem ter dois quartos o que possibilita ao outro o tempo necessário para sua nova jornada. Há questões como nenhum dos dois poder arcar com as despesas sozinho, então tem a busca do que fica pela outra pessoa para dividir o ap.

Enfim, no vídeo “Morando com o ex” contamos experiências sobre como foi possível (ou impossível) conviver com o ex na mesma casa até que um dos dois tomasse seu rumo. Ronaldo Serruya, o convidado do Bee40tona, teve essa experiência duas vezes com espectros bem diferentes. Dá o play que vale a pena!

Related Stories

Parlamentar canadense aparece pelado em videoconferência da Câmara
Senador compara saúde trans com mutilação genital
Doc sobre história da luta livre LGBT ganha trailer, assista
Mulher trans Alejandra Salazar é encontrada estrangulada em sua casa na Argentina
Quantcast