Motorista recusa passageira trans em Uber e é banido da plataforma

Motorista recusa passageira trans em Uber e é banido da plataforma

Be first to like this.

Motorista recusa passageira trans durante corrida de Uber, mas a ocorrência levou o cadastrado a perder sua credencial. O Uber, adota políticas de diversidade e inclusão, como quando distribuiu cartilhas LGBTs aos seus motoristas, além de patrocinar vários eventos e Paradas LGBTs pelo Brasil e investir em empregabilidade trans, ainda enfrenta o desafio de educar e trabalhar com motoristas transfóbicos e homofóbicos.

Lembrando que tyransfobia é crime de discriminação por orientação sexual e/ou identidade de gênero com os passageiros, vale lembrar que a melhor forma de combater esse crime é denunciar, como fez Darllen Sacramento, que teve sua corrida negada, segundo publicação do site Pheeno.

O caso teve repercussão nas redes e acabou fazendo o motorista lgbtfóbico fosse descredenciado da plataforma, que deveria ser de uso igualitário segundo as políticas de uso da própria empresa.

Darllen Sacramento, uma travesti de 28 anos, solicitou a corrida pelo aplicativo. Assim que o motorista a viu no local, passou reto. Darllen, acreditando se tratar de um engano, mandou mensagem a ele avisando onde estava.

Foi quando o motorista mandou: “Travesti? Desculpe, mas não dá”. A situação foi denunciada no Twitter por uma amiga de Darllen e viralizou na Internet.

“Vou postar aqui pra dar voz a uma mana trans que sofreu uma transfobia de um motorista da Uber, quero deixar a cara desse palhaço bem conhecida! E que a @Uber_Brasil tome providências!”, postou a amiga no post.

A Uber, tomando conhecimento da situação lamentou a situação discriminatória que a passageira passou e garantiu ter banido o motorista da plataforma.

 

Quantcast