Como sair do armário quando a palavra gay não existe em seu idioma nativo?

This post is also available in: English Español Français ไทย 繁體中文

Esta história sobre homofobia na Índia foi uma contribuição de um usuário do Hornet através de nossa Plataforma. Você também pode contribuir com histórias para o Hornet. Clique aqui e saiba como.

Eu sou da região mais austral da Índia. De onde eu venho, as pessoas são conhecidas por sua cultura e tradição. E quem vai contra essas tradições de mais mil anos é considerado mau e antinatural. Enquanto a globalização e a educação mudam a forma como as pessoas pensam, ainda temos um longo caminho a percorrer antes de alcançarmos a aceitação universal da homossexualidade.

Se assumir gay é uma das coisas mais difíceis na vida de qualquer pessoa LGBT. Mas quando você é criado em uma sociedade profundamente homofóbica, é ainda mais difícil.

No meu caso, eu tive dificuldade em me aceitar. Foi uma batalha entre minha mente e meu coração. Eu me senti como o único homo em todo o mundo. Ainda estou no armário – mesmo que tivesse a coragem de dizer orgulhosamente: “Sou gay”, meus pais perguntavam: “O que é gay?”

Para piorar as coisas, não há palavras na minha língua nativa que significam “homossexual”. É tão absurdo, não sei se vou rir ou chorar.

india homophobia sign
Photo by Mohd Zakir/Hindustan Times via Getty Images

O pior é que não consigo me livrar da sensação de que sou privado do meu direito básico de viver e amar.

As pessoas LGBT já têm problemas suficientes para aceitar e identificar-se. Mas agora o governo indiano criminalizou a atividade homossexual. Ironicamente, nosso governo é baseado no conceito de “pelo povo, pelo povo e pelo povo”.

Eu vivo em uma sociedade altamente patriarcal e dominada por homens. Questões LGBT são dadas a menor prioridade. As crianças gays ainda vivem com medo de estupro corretivo e assédio sexual.

Eu acredito fortemente que o amor em qualquer forma é divino. O amor é a força que governa todo o universo. Espero que esta força torne o mundo um lugar melhor para todos nós, incluindo pessoas como eu. Só espero que as pessoas logo percebam que não podemos escolher quem amamos. Uma vez que aprendemos a aceitar a todos como eles são, nos moveremos para um novo futuro maravilhoso e harmonioso.

Você já viveu alguma experiência como essa? Queremos saber. Conte pra gente sua história.

Como parte da nossa campanha #DescriminalizeLGBT, O Hornet está destacando as experiências daqueles impactados por tais leis. As pessoas LGBT são criminalizadas em mais de 70 países ao redor do mundo. Os governos se tornaram cada vez mais hostis em relação à comunidade LGBT, e pessoas foram presas, torturadas e assassinadas. A luta pelos direitos LGBT é uma luta contínua, mas através do ativismo, organização e manifestação, teremos sucesso.

O Hornet trabalha em colaboração com o MSMGF para buscar várias histórias de nossas comunidades. O MSMGF tem sido um líder na luta contra essas leis, particularmente no que diz respeito à saúde dos homossexuais masculinos.