Cinco momentos para se evitar engatar um namoro (vídeo)

Cinco momentos para se evitar engatar um namoro (vídeo)

Be first to like this.

Namoro é coisa séria, já diziam nosso avós. Mas sério para quem, afinal? Porque os dois lados precisam estar em sintonia com seus desejos, escolhas, momentos profissionais, familiares e afetivos para, sim, entrar numa relação onde a colaboração e a vontade de estar juntos sejam a prioridade na convivência e que ela dure o tempo de serem felizes (que não precisa ser para sempre).

Carência – o menos é mais nesse momento, porque é normal que tentemos suprir nossas faltas com excessos (bebida, comida, sexo…) e acabamos por demandar demais daqueles que estão ao nosso redor, incluindo o namorado, que não tem obrigação alguma de atender às suas questões afetivas. O ideal é procurar estar bem consigo, autossuficiente na medida certa, para então ocupar espaços junto com o mozão. Sem cobranças!

Não superou o ex – começar um namoro para esquecer o outro é um erro fatal. O que cura é o tempo e não usar pessoas para preencher um vazio o qual você atribui a outro, isso simplesmente pode transformar sua relação em um celeiro de brigas, cobranças, arrependimentos e, claro, você vai fazer com que o o outro se sinta usado ou culpado pelo seu “fracasso” no namoro anterior.

Trabalhando muito – existe um tempo na vida que é só nosso: a corrida pelo sucesso. E se você é desses que não consegue manejar seus dois empregos com a presença de um boy, então é melhor deixar esse boy para depois, porque ele estará em desvantagem em relação aos seus planos pessoais. Então corre pelas suas conquistas e depois vai beijar na boca.

Cara perfeito – se você estiver naqueles momentos em que um único tipo te satisfaz, então não é a hora de entrar numa relação. Porque o spoiler da vida diz que não existe cara perfeito e ficar procurando um modelo, um padrão, alguém que carregue toda a bagagem que você almeja ou admira, vai apenas aumentar suas frustrações em relações às suas buscas. Procure ser feliz com alguém, mas não alguém perfeito.

Pressão social – só namore se você quiser. Seus amigos, sua mãe, seja lá quem for, não pode designar o padrão social de pessoa que você vai performar. Você não é obrigado a namorar, casar, ter filho ou comprar apartamento junto, a menos que você queira, claro. Ceder às pressões normativas para se satisfazer uma sociedade que acredita que é errado curtir a vida, namorar muito e com vários, e que não dialoga sobre sexo, é viver um segundo armário. Livre-se dele!

Conta pra gente quais outras razões e momentos você não acha interessante começar um namoro e já segue o canal Bee40tona, onde eu narro outros vídeos legais sobre a sobrevivência do homem gay.

 

Related Stories

Doc sobre história da luta livre LGBT ganha trailer, assista
Ludmilla faz post contra lockdown, apaga e tenta se explicar
Ryan O’Connell, de Special, criará nova série sobre LGBTs com deficiência
Ator do Power Ranger azul conta como sobreviveu à “cura-gay” e homofobia nas gravações
Quantcast