Quantcast
Padre abandona sacerdócio para se casar com o ajudante paroquial História

Padre abandona sacerdócio para se casar com o ajudante paroquial

Written by Marcio Rolim on July 19, 2018
Be first to like this.

Um padre abandona sacerdócio depois de 10 anos servindo à igreja, porque se apaixonou por seu ajudante paroquial. Os dois se casaram e a história está correndo o mundo. Giuliano Costalunga deixou a batina para constituir uma vida a dois, (ou a três, como ele prefere dizer contando com a presença de Deus), ao lado do marido Paolo Scala.

Em suas visitas regulares a hospitais levando bênçãos a pacientes, o Costalunga conheceu Scala na cidade Selva di Progno e Piazza, na Itália, que era mais um dos internados a receber visita do então padre. Giuliano convidou Paolo para ajudá-lo nas atividades paroquiais e a amizade se transformou em um grande amor.

Quem conta a história é o site da Revista Fórum. “Assim que percebi que o amava, deixei a paróquia, comecei a morar com ele e, embora não tivesse paróquia fixa, ainda era padre e celebrava missas quando me chamavam”, contou Costalunga às agências internacionais de notícias EFE e EPA.

Em fevereiro deste ano o padre fez oficialmente o anúncio ao bispo de Verona de que estava deixando oficialmente a Igreja Católica para viver ao lado de Paolo, casando-se em abril, em uma cerimônia que chamou a atenção de toda a mídia italiana.

Padre abandona sacerdócio

“Deixei o ministério sacerdotal com dor, porque acredito que um homem que acredita em Deus e ama Jesus pode ser um bom sacerdote. Mas é claro que a Igreja Católica não permite, então, para mim, não foi possível continuar”, lamentou. Nos dez anos que celebrou missas, ele enfatizava o amor comum a todas as raças, gêneros e orientações sexuais em sua pregação. “Não falava do amor homossexual, heterossexual, transexual. Falava do amor como um todo”.

O casal agora vive nas Ilhas Canárias, região onde o amor homoafetivo é mais respeitado. “É uma ilha maravilhosa, a ilha da eterna primavera, onde há dignidade, respeito e a liberdade termina onde a do outro começa. Onde podemos celebrar o amor com normalidade”, argumentou. “Vivemos um amor a três. Eu, Paolo e Deus. Para nós, é fundamental ter o espírito santo em nossas vidas”, finalizou.

Read more stories by just signing up

or Download the App to read the latest stories

Already a member? Log in