Quantcast
Papa Francisco reconhece abuso sexual na igreja e envia careta aos católicos Mundo

Papa Francisco reconhece abuso sexual na igreja e envia careta aos católicos

Written by Marcio Rolim on August 24, 2018
Be first to like this.

Papa Francisco rompeu silêncio sobre uma investigação acerca dos escândalos de abuso sexual na Pensilvânia. Um relatório divulgado na semana passada envolveu 300 padres pedófilos em seis das oito dioceses católicas romanas.

No dia 20 de agosto, o Vaticano divulgou uma carta do Papa Francisco se dirigindo ao relatório pela primeira vez. Papa Francisco abre a carta com um verso da Bíblia: “Se um membro sofre, todos sofrem junto com ele” (1 Cor 12:26). “Estas palavras de São Paulo ecoam vigorosamente em meu coração ao reconhecer mais uma vez o sofrimento sofrido por muitos menores devido a abuso sexual, abuso de poder e abuso de consciência perpetrados por um número significativo de clérigos e pessoas consagradas”, disse a carta.

Com vergonha e arrependimento, o Papa Francisco escreve que “a maioria desses casos pertence ao passado”, mas a dor continua. “Percebemos que essas feridas nunca desaparecem”, explica ele. “É preciso exigir condenação dessas atrocidades e unir forças para erradicar esta cultura de morte; essas feridas nunca desaparecem. A dor arrebatadora dessas vítimas, que clamam ao céu, foi por muito tempo ignorada, mantida em silêncio ou silenciada. Mas o clamor deles era mais poderoso do que todas as medidas destinadas a silenciá-lo (…). O Senhor ouviu aquele grito e mais uma vez nos mostrou de que lado ele está.

Em última análise, ele reconhece a maneira como a Igreja falhou com as vítimas. ‘Com vergonha e arrependimento, reconhecemos como uma comunidade eclesial que não estávamos onde deveríamos estar, que não agimos de maneira oportuna, percebendo a magnitude e a gravidade do dano causado a tantas vidas. Nós não mostramos nenhum cuidado para os pequenos; nós os abandonamos.

“A extensão e a gravidade de tudo o que aconteceu exige enfrentar essa realidade de maneira abrangente e comunitária”, continua a carta. “Hoje somos desafiados, como povo de Deus, a suportar a dor de nossos irmãos e irmãs feridos em sua carne e em seu espírito. Se, no passado, a resposta foi de omissão, hoje queremos que a solidariedade, no sentido mais profundo e desafiador, se torne nossa maneira de forjar a história presente e futura”.

O Papa Francisco acredita que a resposta é para a Igreja como um todo e seus membros se submeterem a uma “conversão”. Para ler a carta na íntegra, clique aqui.

Read more stories by just signing up

or Download the App to read the latest stories

Already a member? Log in