Vida de LGBTs na Turquia é uma luta, diz autor e ativista

Vida de LGBTs na Turquia é uma luta, diz autor e ativista

Be first to like this.

This post is also available in: English Español Français ไทย 繁體中文

Nota do editor: A homossexualidade é criminalizada em mais de 70 países ao redor do mundo. Em pelo menos oito países, ser LGBT é punível com a morte. Enquanto a homossexualidade for criminalizada, as pessoas LGBT continuarão a enfrentar violência, assédio e a discriminação. Essas leis também impedem que pessoas LGBT participem plenamente da comunidade ou acessem serviços públicos. Como parte da nossa campanha em andamento #DescriminalizeLGBT, somos protagonistas de pessoas LGBT impactadas por essas leis e por governos anti-LGBT. Apoie nossa campanha #DescriminalizeLGBT aqui.

A Turquia é um país em que a homossexualidade não é ilegal “nos papeis”, mas na vida real não é exatamente como as coisas se desenrolam. Como Murat Renay – fundador da maior revista de cultura gay da Turquia, a GZone, e também escritor e ativista — disse ao Hornet, para pessoas LGBT na Turquia, o país é uma lugar problemático. O governo, controlado por um partido radicalmente conservador ultrapassa seus limites na criminalização de pessoas LGBT.

Leia o que Murat Renay disse sobre a vida dos LGBTs na Turquia:

Não é um crime dois fazerem sexo na Turquia, ou se travestirem, ou ser transgênero, ou ser gay. Mas apesar da falta de leis que criminalizam esses atos e identidades, o LGBT na Turquia vive uma vida problemática.

Na Turquia, pessoas LGBT sempre podem ser detidas sob o questionável “ato de comportamento imoral”, particularmente porque o país está em estado de emergência declarado desde a tentativa de golpe em 15 de julho de 2016.

O governo parece abusar do poder absoluto que tem durante este estado de emergência e usou esse poder para proibir desfiles LGBT desde 2016, bem como eventos LGBT, como exibições de filmes e eventos mais informais nas cidades de Ankara e Istambul.

A constituição da República Turca não contém proteção para pessoas LGBT, nem contém leis que mencionem homossexualidade ou sexo gay como crime. Mas a implementação das leis turcas na sociedade mostra o contrário.

Eles tentam nos descredibilizar

Criminalizar as pessoas LGBT não é algo feito apenas através de leis, mas desacreditando os indivíduos LGBT através de especulações sem fundamento (relacionando-os com terroristas) ou insultando-os na mídia partidária conservadora radical. Depois que a pressão do partido no poder se intensificou há três anos, desacreditar as pessoas LGBT através de uma variedade de métodos tornou-se comum.

Temos que encontrar novos caminhos

Os indivíduos LGBT na Turquia vivem sob a pressão do partido conservador do governo, que parece se fortalecer a cada ano. Mas acreditamos que sempre há esperança em nosso movimento. Devemos aprender a mudar nossa atitude e nossas maneiras de resistir a essa supressão. Devemos mudar nossos caminhos para obter mais aceitação. Esse caminho será difícil, mas acreditamos que um dia a maioria do nosso país aprenderá a respeitar nossos direitos. Porque nós existimos!

Pessoas LGBT na Turquia precisam de apoio!

Nossos irmãos e irmãs europeus e americanos devem elevar suas vozes sobre a supressão e a crueldade contra as pessoas LGBT nos países do Oriente e do Oriente Médio. As comunidades LGBT nesses países podem nem sempre ter o poder de mudar as leis ou mudar o paradigma social, então nossos aliados devem se revoltar e lutar. Apoie nossa campanha.

#DescriminalizeLGBT mais informações no link.

 

Todas as fotos por Ömer Tevfik Erten

Related Stories

Quando fantasias sexuais problemáticas param de ser inofensivas?
"Por que eu não consigo namorar?" ou não quero (VÍDEO)
Em época de Bienal, 3 livros LGBTQIA+ para adicionar à sua estante
Sarah Paulson entra em bate-boca no Twitter por não atualizar pronomes na bio
Quantcast