Quantcast
Pessoas não-binárias: 1 em cada 5 não recebe tratamento médico nos EUA devido à sua identidade Sexo

Pessoas não-binárias: 1 em cada 5 não recebe tratamento médico nos EUA devido à sua identidade

Written by Marcio Rolim on January 12, 2019
Be first to like this.

Pessoas não-binárias, uma realidade que precisa ser incluída, aparecem em um novo estudo de acadêmicos que descobriu que 1 em cada 5 pessoas não-binárias nos Estados Unidos não recebem tratamento médico e de saúde devido à sua identidade de gênero.

O Dr. Walter Liszewski, residente na Universidade de Minnesota, e três outros co-autores publicaram, em dezembro, a pesquisa sobre pessoas com desigualdade de gênero – conscientização, visibilidade e disparidades em saúde para o New England Journal of Medicine.

“À medida que o conceito de gênero de nossa sociedade evolui, aumenta a visibilidade das pessoas não-binárias contemporâneas”, escreveram no início do artigo. “No entanto, muitos membros da comunidade médica podem não saber como interagir respeitosamente com pacientes não-binários ou reconhecer suas necessidades exclusivas e barreiras ao tratamento”.

De acordo com o jornal, 23% das pessoas não binárias têm evitado procurar tratamento médico devido ao medo da discriminação. Outros 19% disseram ter sido negados no tratamento devido à sua identidade como pessoas não-binárias.

Pessoa não-binária
Jamie Shupe e Sandy Shupe, casados há 29 anos em matéria para o portal “Mega Curioso” de 2016

Os autores revelaram ainda outros detalhes sobre a saúde das pessoas não binárias. Eles descobriram que, no geral, pessoas não binárias têm que pagar taxas mais altas em planos de saúde do que outras pessoas. Algumas dessas pessoas ainda sofrem estresse psicológico e lutas de saúde mental, vítimas de violência doméstica e pobreza e desemprego.

Liszewski disse em um comunicado que espera que a pesquisa torne os médicos “conscientes de pacientes não-binários, e perceba que precisamos fazer um trabalho melhor permitindo que esses indivíduos tenham acesso a cuidados de saúde de qualidade”.

“Nossas descobertas realmente destacam que há muito ceticismo e hesitação em relação a pacientes não-binários para se envolver com profissionais de saúde”, acrescentou. Estudos anteriores mostraram resultados semelhantes, tanto no exterior quanto nos EUA.

Um estudo do ano passado da UCLA revelou que, das pessoas LGB, os bissexuais nos EUA têm o pior acesso a um médico regular, assim como taxas mais altas de consultas e serviços. Em geral, a discriminação é um problema enorme no mundo da saúde para as pessoas LGBTI.

 

Nãobinário é um dos muitos termos usados para descrever pessoas cuja identidade de gênero não é nem inteiramente masculina nem inteiramente feminina.

Foto da capa: imagem do clipe de “Alguém Segure Esse Homem”, Lineker

Read more stories by just signing up

or Download the App to read the latest stories

Already a member? Log in
Português
  • English
  • Français
  • Español
  • ไทย
  • 繁體中文