PM gay sofre ataque homofóbico e leva caso à justiça

Soldado da Polícia Militar de Brasília, Wallace Ferreira Pereira, e o seu namorado Mauro Ximenes, foram alvo de ataques homofóbicos nas redes sociais e já prometeram levar o caso à justiça contra todos os envolvidos. Quem publicou o caso foi a Revista Fórum.

Em uma postagem no Facebook, um usuário publica foto do servidor em exercício e outra com ele ao lado do namorado comparando antigos servidores da segurança pública e os atuais: “Antigamente só tinha PM barrigudão que comia PF de arroz com feijão e torresmo naqueles botequins pé sujo. Aí a PM começou a exigir faculdade e começaram a chegar uns caras que não comem carne gordurosa porque faz mal, só bebem suco Detox e acham que têm a bunda mais bonita que a das mulheres. Só podia dar nisso”, escreveu.

PM gay sofre ataque homofóbico

Wallace publicou em seu Instagram um vídeo comunicando que irá tomar as devidas providências. “Nada vai ficar em vão. Isso não vai prejudicar minha, vida, minha rotina. Mas o que aconteceu comigo, pode acontecer com qualquer outro. Isso não pode ficar impune. O resultado vai ser muito ruim para quem começou isso e para quem está compartilhando”, disse.

Seu companheiro também se pronunciou assegurando que os ataques não ficarão impunes. “Eu e meu companheiro temos sido vítimas de mensagens de cunho homofóbico. Tudo começou com uma fake news. Não satisfeitos eles resolveram nos denegrir no WhatsApp. Nós estamos tomando providências. Já estamos entrando em contato com a delegacia especializada. Estamos colhendo prints que as pessoas têm nos mandado de forma espontânea. E o recado é o seguinte: nada na internet fica sem registro. Tudo deixa rastro”, declarou.

Wallace é servidor do 9º Batalhão da Polícia Militar do Espírito Santo, mas está cedido à Força Nacional de Segurança em Brasília. Junto com o seu namorado, o casal costuma demonstrar afeto nas redes sociais e nunca esconderam que vivem um relacionamento.