Quantcast
Sam Smith descreve sua primeira experiência gay como “traumática” Celebridades

Sam Smith descreve sua primeira experiência gay como “traumática”

Written by Marcio Rolim on May 01, 2019
Be first to like this.

Sam Smith fala sobre sua primeira experiência gay para a matéria da Gentleman’s Quarterly June, que saiu no último dia 1. Na entrevista que acompanha o editor de notícias e reportagens da British GQ, David Levesley, o cantor descreveu suas primeiras experiências sexuais em sua juventude como “traumáticas”.

Ele também revelou que, depois de se assumir como não-binário no início deste ano, que seu pronome preferido é ele. No entanto, quando ele não se sente “masculino” ou “feminino”, ele se fica “deprimido e triste”.

Smith é uma das cinco estrelas de capa da publicação de moda para marcar seu evento inaugural GQ Heroes. A GQ nomeou Smith na categoria cantor da cimeira. Smith falou abertamente sobre suas primeiras experiências sexuais quando se mudou para Londres. “Aquelas primeiras experiências não foram muito gentis. Eu não estava machucado, não era nada horrível, mas era traumático”.

“Não foi um bom acolhimento em minha vida sexual e minha vida como um jovem. Eu acho que definitivamente atrapalhou minha crença no amor às vezes. Essa foi provavelmente a primeira vez que comecei a sentir tristeza. Não foram orgias, foi apenas uma vida muito diferente da que conheci no campo. Estava escuro às vezes”.

O cantor que já levou alguns Grammys cresceu em Bishop’s Stortford, uma pequena cidade mercantil em Hertfordshire, Inglaterra. Mudar-se para Londres em sua juventude e vivenciar uma cena urbana queer foi algo transformador. “Minhas primeiras experiências com a comunidade gay não foram as melhores. Foi bastante violento e assustador às vezes”, disse ele.

O site Gay Star News falou mais obre essa entrevista do cantor: “Desde que eu era um garotinho, desde que eu era um pouco humano, não me sentia à vontade como homem de verdade”, ele disse, “nunca realmente me senti”. “Em alguns dias, tenho meu lado masculino e, em alguns dias, tenho meu lado feminino, mas é quando estou no meio dessa mudança que fico muito deprimido e triste”.

“Porque eu não sei quem sou ou onde estou ou o que estou fazendo, e me sinto muito incompreendido por mim mesmo. Eu percebi que é porque eu não me encaixo em nenhum dos dois”.

Foto: QuemFoiQueDisse

Read more stories by just signing up

or Download the App to read the latest stories

Already a member? Log in