Quantcast
Quadrilha que traficava transexuais para Itália é presa pela PF Sexo

Quadrilha que traficava transexuais para Itália é presa pela PF

Written by Marcio Rolim on August 11, 2018
Be first to like this.

Quadrilha que aliciava transexuais para a Itália foi desmontada e presa pela Polícia Federal, em parceria com o Ministério Público do Trabalho e o Ministério Público Federal, nesta quinta-feira, 09, em Franca (SP), a prisão é parte da Operação Fada Madrinha, contra o tráfico internacional de pessoas e o trabalho escravo.

As jovens trans eram obrigadas a pagar diárias de R$ 170 e caso não conseguissem arrecadar o valor para pagar a “estadia”, elas eram agredidas com barras de ferro e pedaços de madeira com um prego na ponta, tinham a cabeça raspada ou até mesmo deixadas nuas em rodovias na região. Ao todo cerca de 14 transexuais foram resgatadas do imóvel.

O aliciamento acontecia pelas redes sociais, com a promessa de procedimentos cirúrgicos faciais e corporais e também a participação de concursos de beleza no país europeu. “Para realizarem o seu sonho, teriam que pagar uma diária, dos quais R$ 70 para hospedagem e alimentação, R$ 50 para aquisição de roupas, perucas, sapatos e outros acessórios fornecidos exclusivamente pelos investigados, e os outros R$ 50 da chamada ‘poupança da transição’, para financiar os procedimentos cirúrgicos, prótese mamária e silicone industrial”, explicou a delegada da PF Luciana Gebrim.

A investigação teve início em novembro de 2017, quando a Polícia Federal recebeu informações de que transexuais estavam sendo aliciadas pelas redes sociais com promessas da realização de procedimentos cirúrgicos para a transformação facial e corporal e da participação em concursos de misses na Itália. Ao chegarem à cidade de Franca, em busca das promessas, eram submetidas à exploração sexual e à condição análoga à de escravas, sendo obrigadas a adquirir itens diversos dos investigados (roupas, perucas, sapatos etc.), o que as levava a um ciclo de endividamento.

Os investigados aplicavam silicone industrial no corpo das vítimas e as encaminhavam para clínicas médicas para implante de próteses mamárias, havendo indícios de que as próteses utilizadas eram provenientes de reúso. As vítimas consideradas mais bonitas e promissoras eram enviadas à Itália para a participação em concursos de misses, tudo a expensas dos investigados, o que causava um novo ciclo de endividamento. Naquele país, eram novamente submetidas à exploração sexual para o pagamento de suas dívidas com o grupo criminoso.

Os investigados responderão, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de tráfico internacional de pessoas, redução à condição análoga à de escravo, associação criminosa, rufianismo e exercício ilegal da medicina. Se condenados, as penas podem ultrapassar 25 anos de reclusão.

Com informações do G1

Read more stories by just signing up

or Download the App to read the latest stories

Already a member? Log in
Português
  • English
  • Français
  • Español
  • ไทย
  • 繁體中文