Quantcast
Rio ganha delegacia especializada para atender crimes raciais e contra LGBTIs Política

Rio ganha delegacia especializada para atender crimes raciais e contra LGBTIs

Written by Marcio Rolim on August 30, 2018
Be first to like this.

A implementação da Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância – Decradi foi publicada no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro, nesta sexta-feira (24/08). A Decradi receberá queixas de crimes de LGBTfobia, injúria, difamação e agressão, as informações são do G1.

No local, a vítima será acolhida e recepcionada por profissionais especializados, com um atendimento humanizado. A unidade será preparada para orientar e encaminhar, quando necessário, essas pessoas a demais serviços públicos. A Lei 5931/11 que criou a Decradi é de autoria do deputado estadual Átila Nunes e tem como principal finalidade combater todos os crimes praticados contra pessoas, entidades e patrimônios públicos ou privados, cuja motivação seja o preconceito ou a intolerância.

“A vítima será atendida pelo agente que vai encaminhá-la para o responsável da Decradi. Será um espaço mais humanizado, onde as vítimas receberão o apoio necessário”, explica o vereador Átila Alexandre, autor do projeto que criou a Decradi.

O nome do titular da delegacia ainda será definido entre a Secretaria de Segurança e o chefe do Departamento Geral de Polícia Especializada, Marcus Vinícius Braga. Segundo ele, é necessário considerar neste momento:

  • Políticas públicas efetivadas pela União e pelo Estado do Rio de Janeiro para o enfrentamento de casos de racismo, xenofobia, intolerância religiosa e demais formas de discriminação;
  • A necessidade de propiciar à sociedade uma Unidade de Polícia Administrativa e Judiciária própria para investigar ocorrências, nos casos de crimes raciais e delitos de intolerância;
  • A intenção do Governo do Estado do Rio de Janeiro de inserir no Programa “Delegacia Legal” todas as Unidades de Polícia Administrativa e Judiciária do Estado do Rio de Janeiro.

A unidade funcionará em conjunto com as delegacias regionais, que também contarão, cada uma, com um agente treinado no assunto. Os casos mais graves serão investigados pela Decradi: “As delegacias locais que registrarem essas denúncias poderão encaminhá-las para a Decradi para que a vítima tenha um atendimento mais específico”, finaliza.

 

Read more stories by just signing up

or Download the App to read the latest stories

Already a member? Log in