Rio ganha delegacia especializada para atender crimes raciais e contra LGBTIs

Rio ganha delegacia especializada para atender crimes raciais e contra LGBTIs

Be first to like this.

A implementação da Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância – Decradi foi publicada no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro, nesta sexta-feira (24/08). A Decradi receberá queixas de crimes de LGBTfobia, injúria, difamação e agressão, as informações são do G1.

No local, a vítima será acolhida e recepcionada por profissionais especializados, com um atendimento humanizado. A unidade será preparada para orientar e encaminhar, quando necessário, essas pessoas a demais serviços públicos. A Lei 5931/11 que criou a Decradi é de autoria do deputado estadual Átila Nunes e tem como principal finalidade combater todos os crimes praticados contra pessoas, entidades e patrimônios públicos ou privados, cuja motivação seja o preconceito ou a intolerância.

“A vítima será atendida pelo agente que vai encaminhá-la para o responsável da Decradi. Será um espaço mais humanizado, onde as vítimas receberão o apoio necessário”, explica o vereador Átila Alexandre, autor do projeto que criou a Decradi.

O nome do titular da delegacia ainda será definido entre a Secretaria de Segurança e o chefe do Departamento Geral de Polícia Especializada, Marcus Vinícius Braga. Segundo ele, é necessário considerar neste momento:

A unidade funcionará em conjunto com as delegacias regionais, que também contarão, cada uma, com um agente treinado no assunto. Os casos mais graves serão investigados pela Decradi: “As delegacias locais que registrarem essas denúncias poderão encaminhá-las para a Decradi para que a vítima tenha um atendimento mais específico”, finaliza.

 

Related Stories

Casal denuncia vizinho que fez insultos homofóbicos em Cuiabá
São Paulo lidera número de denúncias de violência contra LGBTIs no Brasil
Polícia Civil orienta agentes sobre atendimento ao público LGBT
Mulheres trans e travestis passam a receber atendimento em Delegacias da Mulher na Paraíba
Quantcast