FIFA precisa fazer mais para combater ofensas anti-gays nos jogos da Copa

This post is also available in: English Español ไทย

Os fãs de futebol de língua espanhola aparentemente gostam de gritar a palavra “puto” – uma gíria para os gays que se traduz como “prostituto” ou “filho da puta” – como grito de torcida nos campos. Fãs mexicanos têm feito isso há anos, e por isso não surpreende saber que eles isso já aconteceu na Copa do Mundo da Rússia na partida contra a Alemanha (a qual o México venceu). A FIFA, a organização mundial que rege as partidas internacionais de futebol e supervisiona a Copa do Mundo, disse que está investigando esta última edição da homofobia da Copa do Mundo.

A Fifa diz que vai multar o time de futebol do México se descobrir que os torcedores estavam cantando, mas é improvável que isso pare com o insulto anti-gay, já que os torcedores mexicanos o cantam há mais de uma década. A FIFA até multou o México por isso no passado, o que claramente não impediu que torcedores mexicanos o repetissem o ato.

Antes da Copa, a Federação de Futebol Mexicano (FMF) também pediu aos torcedores que não repetissem o grito nos jogos, aparentemente sem sucesso.

Assista ao vídeo da partida onde a ofensa anti-gay acontece:

A política da FIFA afirma que os árbitros devem interromper as partidas e fazer um pronunciamento público se ouvirem cantos anti-gays, cancelando o jogo se os cantos não pararem. Eles não fizeram isso no sábado, supostamente porque o canto dos fãs mexicanos parou após o pênalti.

O jornalista Danny Armstrong disse que ouviu e levou vídeos de torcedores de língua espanhola cantando outra ofensa homofóbica em uma passagem subterrânea de Moscou. No vídeo abaixo você pode ouvir os fãs mexicanos cantando “El que não salta es un chileno maricón” que significa, “Quem não pular é um viado chileno” (Basicamente, se você não está comemorando, você é um chileno e gay. É uma maneira de combinar a homofobia com o nacionalismo”.)

Veja o vídeo no metrô:

Para ser justo, o México não é o único país a cantar a homofobia da copa do mundo. O The Guardian publicou, “A FIFA publicou 51 ações disciplinares sobre homofobia durante as eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. Destes, 11 foram entregues à federação mexicana, com Argentina, Brasil, Chile, El Salvador, Honduras, Panamá e Peru também recebendo multas múltiplas. Além disso, a FIFA citou Colômbia, Costa Rica, Equador, Paraguai, Uruguai, Grécia, Hungria e Sérvia uma vez para cada canto homofóbico.”

World Cup homophobia, Mexican fans 2

FIFA tem supostamente aplicado mais de $160,000 em multas para os países cujos torcedores usam gritos anti-gays. Mas os torcedores dizem que os gritos nunca terminarão até que a FIFA comece a proibir esses torcedores nos jogos, fechando ativamente os campos (como a organização disse que faria) ou penalizando as equipes em campo pelas ações homofóbicas de seus torcedores.

Qual a solução para este problema no futebol? Deixe um comentário.