Quantcast
Vaticano se reúne com ativistas LGBTI para discutir direitos Política

Vaticano se reúne com ativistas LGBTI para discutir direitos

Written by Marcio Rolim on April 07, 2019
Be first to like this.

Vaticano tem investido em incursões cada vez mais próximas dos LGBT nos últimos anos. O secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin, recebeu nesta sexta-feira (5) um grupo de pelo menos 50 pessoas, com intento de discutir direitos da comunidade LGBT. Os ativistas são provenientes de variados países e, uma das medidas, é a luta contra criminalização da homossexualidade. De acordo com o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Alessandro Gisotti, os ativistas apresentaram ao cardeal uma relação da criminalização ao redor do mundo.

“O cardeal foi muito claro: a violência é inaceitável e ele insistiu no respeito pela dignidade humana”, afirmaram os ativistas à imprensa. Os representantes de associações em prol da comunidade LGBT ainda explicaram que, inicialmente, deveriam ter se encontrado com o Papa Francisco, mas há poucos dias foram informados de que não poderiam. Para o grupo, a esperança é que hoje “um processo tenha sido iniciado, um diálogo com o Vaticano”, que pode continuar em um futuro próximo.

“Há situações em que a Igreja local não apoia esta batalha pela defesa dos direitos. Por isso, as associações decidiram conversar com o Vaticano para que haja uma única orientação da Igreja sobre essas questões para todos”, explicaram os ativistas. Os preceitos e os ideais de respeito devem ser asseverados, bem como a proteção à dignidade da pessoa humana, e lutar arduamente contra qualquer forma de violência.

Lembrando que o mesmo Papa já disse uma vez que, casos de homossexualidade ainda na adolescência deveriam ser tratados com psiquiatra na tentativa de reverter a sexualidade ainda jovem. Contudo, em uma entrevista ao programa Salvados, do canal espanhol Lá sexta, o pontífice reviveu este assunto. “Eu estava explicando que nunca se expulsa de casa uma pessoa homossexual. Mas fiz uma distinção quando a pessoa é muito jovem, e começa a mostrar sintomas estranhos, aí convém ir ao psiquiatra. Nesse momento começa a palavra que sai e termina em um idioma que não é o seu”. Disse Francisco, segundo o Clarín.

Read more stories by just signing up

or Download the App to read the latest stories

Already a member? Log in
Português
  • English
  • Français
  • Español
  • ไทย
  • 繁體中文