Jovem gay suicida após escrever relato chocante sobre a família em redes sociais

O jovem Yago Oliveira atentou contra a própria vida na cidade de Sapé no Estado da Paraíba no último dia 14 de março. O caso tomou as redes sociais não apenas de comoção, mas também de comentários de ódio. O suicídio ganhou repercussão nacional após viralizar um depoimento do jovem enumerando problemas que enfrentava em casa.

Segundo relato publicado por Yago, sua família não o aceitava por ser homossexual e chegou a comentar antes que tinha recebido ameaças da mãe via Whatsapp e que sua vida havia se tornado “um inferno”. A publicação viralizou e após o suicídio, um debate sobre a falta de apoio da família tomou as redes na última semana. A publicação atingiu mais de 50 mil compartilhamentos.

Confira o relato de Yago na íntegra:

Sei que roupa suja se lava em casa, mas vamos lá

*Meu avô paterno, se casou com a minha avó quando ela tinha 12 anos de idade e ele 30, ela se urinou com medo na primeira noite que dormiu com ele.
*Minha avó traiu o meu avô e eles se separaram, minha avó largou todos os filhos pelas casas das irmãs e não criou nenhum deles, assim como meu avô que começou a tratar os filhos do primeiro casamento como estranhos sem nem cumprimentar quando passava por eles na rua.
*O irmão do meu avô teve uma filha esquizofrênica, a qual como ele mesmo disse uma vez “deu fim”, ninguém nunca soube o que aconteceu com ela.
*O meu tio que é pastor evangélico teve seis filhos, com três mulheres diferentes, dos seis ele só criou dois, pagava 50 reais de pensão para a primeira esposa criar os seus outros filhos e achava um absurdo esta quantia e vivia atrasando a pensão.
*Esse mesmo tio que é pastor fugiu da Paraíba perseguido por um membro da igreja, após esse membro descobrir que sua esposa estava tendo um caso com ele.
*Um outro tio abusava sexualmente da minha tia
*A minha tia dizia que tínhamos que chamar a empregada doméstica de “Maria” porque empregada doméstica não tem direito a nome, como ela mesmo disse uma vez.
*Minha avó deu de presente para o meu primo um diploma do ensino médio falsificado, depois dele ter reprovado milhares de vezes na quinta série e todos concordarem que meu primo era um caso perdido.
*Outra tia minha enterrou viva uma ninhada de oito cachorros que sua cadela deu porque simplesmente os cachorros nasceram tudo fêmea.
*Para o meu pai todo negro é marginal, todo serviço mal feito foi feito por negro e todas essas coisas racistas que já conhecemos…

Mas segundo todos esses que eu citei anteriormente a vergonha da família sou eu, pelo simples fato que sou gay, afinal como eles dizem, ser gay é pecado, mas ser racista, corrupto, assassino, estuprador, pedófilo e não criar os filhos tá de boa, o importante é você não ser gay.

Uma mulher que se identificou como tia de Yago respondeu alguns comentários e relatou só ter conhecimento sobre a homossexualidade dele no dia do enterro, mas fomos conferir os posts e ela já havia apagado. Veja os prints:

 

Yago Oliveira

Yago Oliveira