Esse filme com homens gays latinos fará você repensar questões de raça e desejo

This post is also available in: English Español Français ไทย 繁體中文

“Como um imigrante mexicano, é frustrante ter que cavar muito mais fundo para rodar histórias de pessoas gays de cor”, diz o belo cineasta Leo Herrera.

Herrera trabalhou no The Fathers Project, um filme sexy e surreal sobre o que nosso mundo seria, se não tivéssemos perdido uma geração para o HIV. E então quando nós quisemos criar um filme sobre a sexualidade latina gay, ele foi a primeira pessoa que veio à mente.

Embora os filmes passados ​​de Herrera tenham abordado temas como o sexo gay, o HIV e a PrEP, as representações da sexualidade latina são muitas vezes apenas sobre HIV e sexo seguro. Para o filme En Cuatro, queríamos elaborar uma história que não tratasse de doenças, mas de todos os elementos emocionantes da sexualidade gay dos latinos. Conversamos com Herrera sobre o filme, a sexualidade e o impacto cultural das telenovelas.

Assista ao filme En Cuatro:

Hornet: o que significou para você esse filme?

Herrera: En Cuatro é um ponto de encontro para a sensualidade latina, para o vínculo que liga todos os homens pardos, não importa o nosso plano de fundo ou a forma como expressamos nosso sexo e gênero. Os homens latinos raramente têm a chance de se ver fora das campanhas de sexo seguro e da fetichização de nossos corpos pardos em pornografia. Neste clima americano, não importa se somos um imigrante mexicano ou um porto-riquenho, somos tratados da mesma maneira.

Como cineasta imigrante mexicano, este filme é um pequeno passo para confrontar minha própria homofobia, racismo e colorismo internalizados. En Cuatro presta homenagem às telenovelas com as quais cresci, as cenas de amor onde os censores empurraram os limites enquanto nossas avós e mães observavam. No entanto, como meninos gays, nunca fomos representados, e à medida que envelhecemos, grande parte da nossa história é dominada pela narrativa dos homens brancos.

Como artista na minha década de 30, é crucial para mim ajudar a quebrar esse padrão junto com a comunidade global de incríveis artistas, historiadores e profissionais da América Latina, incluindo os quatro apresentados neste filme.

Você descreve este projeto como um namoro para a comunidade latina. O que isso significa?

A inclusão é tão crucial em todas as minhas outras obras, que foi uma alegria criar algo especificamente para minha comunidade Latinx. Não só consegui apresentar alguns dos meus artistas e colegas favoritos, mas também criar algo no estilo das cenas de sexo fumegantes das telenovelas da noite que eu assistiria com minhas tias e minha mãe, com uma música antiga do tempo do cinema mexicano.

Qual a sua experiência sobre ser gay e latino?

Muitos latinos são obrigados a abandonar nossa herança, nossas cidades de origem e às vezes até nossas grandes famílias. Essa cultura é algo que temos de buscar ativamente quando envelhecemos, um ponto que foi abordado nas entrevistas do filme.

Esta é uma jornada para muitas pessoas da Latinx, mas, eventualmente, você fica orgulhoso do seu passado. Eu não julgo essas escolhas, mas estou muito feliz e orgulhoso de ter uma conexão com minha cultura que se tornou mais forte à medida que eu envelheci.

En Cuatro 04
A still from Leo Herrera’s En Cuatro

Como a sua sexualidade gay latina interferiu no seu trabalho?

A paixão que os sujeitos transmitem no filme, a filmagem de cenas de sexo, tentando empurrar os limites, é algo que faz parte de todo o meu trabalho. Eu sou um romântico sem esperança e otimista, alegre e colorido (especialmente depois de algumas tequilas), e essas são características geralmente associadas ao meu povo e podem ser encontradas em todos os meus filmes.

Como você equilibrou sexo e sexualidade durante esse filme?

Tudo veio através de uma química, combinando os artistas com alguém com quem ficaria confortável e deixando-os apenas interagir uns com os outros (depois de algumas bebidas, é claro). Eu quase me senti como um voyeur por momentos, porque eram super naturais um com o outro.

Embora tenha filmado cenas pornográficas antes, acho que assim foi muito mais interessante. Havia muitas ereções no set, mas é muito mais sexy manter isso em segredo.

O que você esperava dizer sobre a experiência gay latina com este filme?

Eu pretendia homenagear este estereótipo do “Latino apaixonado”. Às vezes, os estereótipos estão enraizados em uma série de realidade e abraçá-los podem ser capacitadores, especialmente quando na mídia heterossexual somos vistos como vítimas ou “homens ruins”. Eu queria mostrar não só o quão apaixonados são esses homens, mas também o quão apaixonado eu posso ser com uma câmera e edição, com uma configuração simples e elegante que nos permitirá deixar as faíscas voarem.

En Cuatro 03
Another still from Leo Herrera’s En Cuatro

Quais os elementos culturais que influenciaram a sua sexualidade?

Estou abraçando a minha herança latina em meu trabalho e até na minha vida pessoal. Pode haver muita pressão para que algumas pessoas da Latinx sejam quase militantes em relação à nossa cultura, para que continuem a provar o quanto somos “pardos”.

Para mim que falo espanhol, cresci um imigrante sem documentos, limpei casas com minha mãe quando adolescente, então não tenho nada para provar. No entanto, muitas vezes eu também me achei inconsciente de minha própria assimilação, de tempos em que a narrativa masculina branca dominou meu trabalho, vida pessoal e sexual.

À medida que envelheço, estou aprendendo a abraçar a beleza dos meninos latinos por onde eu cruzo com eles. Por exemplo, se eu estiver saindo com um menino de Porto Rico, mesmo que eu seja do México, ainda haverá uma série de semelhanças as quais eu não experimentarei.

Foi uma progressão natural e maravilhosa, e foi o que fez esse filme tão bem cronometrado: assim como eu estou tendo um caso de amor com minha própria pele marrom e as características marrons de outros homens, eu tenho que filmar e colocar todo esse carinho e a sexualidade em um curta-metragem.

Como separamos a doença da nossa sexualidade para que os latinos gays tenham mais representação que apenas campanhas de prevenção do HIV?

A maior parte da história geral do homem gay foi ativamente atacada por centenas de anos, e a história que temos é geralmente enquadrada na narrativa masculina cis-branca. Quando os homens latinos são apresentados em qualquer arte ou pornografia, geralmente envolve fetichização pesada ou nós como vítimas de doenças e pobreza, imigração e falta de acesso à saúde.

Criando um projeto como este – pelas pessoas da Latinx, para pessoas da Latinx – não só nos permite sentir-nos orgulhosos de nós mesmos, mas também expõe a nossa família gay que é maior que nós, para que possamos ser uma comunidade LGBT mais forte.

No presente, esse clipe será visto por meninos jovens latinos que estão encontrando sua própria sexualidade, e em 20 anos, haverá um registro de um grupo de cinco caras que se reuniram em uma grande casa de São Francisco para filmar algumas cenas softcore falando sobre nossas experiências, e isso é um sentimento maravilhoso!

 

Conte pra gente  que acha sobre o filme “En Cuatro” de Leo Herrera.