ideologias intolerantes
ideologias intolerantes

Devemos ser intolerantes com ideologias intolerantes

This post is also available in: English

Uma das maiores reclamações da ala da direita conservadora é que os liberais, que adoram pregar sobre “tolerância” estão na verdade sendo intolerantes quando nos tentam fazer engolir os argumentos da direita. Bem, de acordo com o filósofo Karl Popper, que fala sobre como não devemos aturar ideologias intolerantes, essa é precisamente a coisa certa a se fazer. Delineado em 1945, seu “paradoxo de tolerância” predizia que os “intolerantes” apelariam para ideias de tolerância, usando-as para ganhar poder e atentar pelo fim da tolerância de uma vez por todas.

Quem É Karl Popper?

Karl Popper paradox of Tolerance picture of Popper
Karl Popper

Karl Popper foi um dos mais importantes filósofos do século XX. Muito de seu trabalho tinha a ver com ciência. Uma de suas teorias foi o conceito de “falsificação” – o que ele chamava de uma resposta ao “problema da indução”.

O problema da indução é: os raciocínios indutivos levam, ou não, ao conhecimento? Por exemplo, se nós soubéssemos que o sol surge toda manhã, podemos “saber” que o sol irá nascer em qualquer dada manhã?

A ideia de Popper de “falsificação” responde que, sim, nós podemos saber isso – ou pelo menos adotar isso como teoria, considerando também que em uma manhã na qual o sol não surge, podemos então jogar fora nossa teoria e descobrir uma nova. Mas até lá vamos continuar com ela, assumindo que o sol irá surgir novamente (além do que, se o sol parasse de surgir, nós teríamos problemas maiores para nos preocuparmos).

Porém, Popper também estava muito interessado em política. Ele começou sua vida política como um Marxista, mas depois que seus amigos foram baleados pela polícia durante uma revolta comunista ele ficou desiludido quando percebeu que os líderes de seu grupo lidavam tranquilamente com o fato de pessoas serem assassinadas se aquilo significasse poder.

No tempo em que Popper ficou na esquerda do espectro político, ele propunha a democracia liberal, e um dos princípios centrais de sua filosofia era que a morte de qualquer indivíduo para o “bem maior” era algo que não deveria ser levado em consideração.

O Paradoxo de Tolerância

alt-right fashion polo shirts karl popper paradox of tolerance
Foto do supremacista branco Peter Cvjetanovic em Charlottesville, Virgínia, em 11 de agosto de 2017. (Foto: Samuel Corum / Agência Anadolu / Getty Images)

Ao mesmo tempo em que Karl Popper argumentou pela importância de ouvir outras vozes e pregou “tolerância” como uma virtude, ele alertou que a tolerância tinha um limite. Se pessoas “tolerantes” tolerassem os “intolerantes”, os intolerantes iriam levar vantagem e eventualmente tomar o poder e acabar com a tolerância. Karl Popper chamou isso de “paradoxo da tolerância”.

Ele inseriu em seu trabalho de 1945, A Sociedade Aberta e Seus Inimigos, “Menos conhecido é o paradoxo da tolerância: Tolerância ilimitada pode levar ao desaparecimento da tolerância. Se nós estendermos a tolerância ilimitada até mesmo para aqueles que são intolerantes, se nós não formos preparados para defender a sociedade tolerante contra os ataques dos intolerantes, então os tolerantes serão destruídos, junto com a tolerância”.

LEIA TAMBÉM | Não discuta com fascistas. Detone-os!

Karl Popper aponta que uma sociedade tolerante não deve suprimir todos os discursos intolerantes, mas ao invés disso deve contra-atacar com argumentos racionais e trabalhar para manter a opinião pública ao lado dos tolerantes. Mas se esses métodos falharem, Popper escreve:

“Mas nós devemos clamar pelo direito de suprimir se necessário até pela força; porque se pode facilmente perceber que eles não estão preparados para nos encontrar no nível de argumentos racionais, mas começarão a denunciar quaisquer argumentos; eles podem proibir seus seguidores de ouvir a argumentos racionais, pois são enganosos, e ensinam a eles a responder argumentos com o uso de seus punhos ou pistolas.”

Usando o “Paradoxo da Tolerância” de Karl Popper para derrubar conservadores

Então da próxima vez que um direitista que se opõe a direitos LGBTQ vier a você dizendo que está sendo “intolerante” aos benefícios religiosos deles (ou quaisquer outra base datada que eles usam para denunciar os direitos e benefícios da nossa comunidade), deixe eles sabem que não é assim que a coisa funciona.

Diga a eles que Karl Popper descobriu há mais de 70 anos atrás que a “tolerância” requer ser intolerante com a intolerância. (Sim, é meio que um trava línguas!.) E para assegurar que nossa comunidade, onde quer que ela esteja, seja tolerante da forma que sempre pretendeu ser, é necessário que nós não toleremos ideais intolerantes.

Qualquer outra coisa pode resultar na morte completa da tolerância.

O que você acha de Karl Popper e seu “Paradoxo da Tolerância”?