Quantcast
Meninos Também Amam emociona público e choca com a beleza da poesia Teatro

Meninos Também Amam emociona público e choca com a beleza da poesia

Written by Marcio Rolim on April 01, 2019
Be first to like this.

Meninos Também Amam emociona. Não apenas pelas cenas de violência contra LGBTs que são exibidas em segundo plano, mas também pela poesia que permeia o diálogo dos atores com o público. Totalmente despidos, literalmente, os corpos dos atores falam o texto através da voz, dos olhos, dos pelos, das mãos, dos paus e dos cus expostos como confronto à toda intolerância que ignorância que os corpo LGBT precisa passar para sobreviver.

Falamos com o diretor e ator Rafael Guerche sobre a concepção do espetáculo e seu olhar sobre a importância de falar e lutar contra a violência do corpo LGBTI:

Eu falo da alma da poesia. A poesia é urgente nesse momento. O espetáculo busca o lugar de não criar UM personagem, mas de dar voz à nossa vida. Vivemos no país que mais mata LGBTIs no mundo há décadas, e por isso é urgente falar disso. E me parece que o único caminho é o diálogo.

Poesia é diálogo, poesia é manifesto, poesia é gente, poesia é vida. Em seis anos, um elenco de quase 100 pessoas passaram pelo espetáculo. E essa mudança de geração foi mudando o espetáculo. A recepção sempre se deu no lugar das diferenças entre experiências e vivências. Reunir tanta gente LGBT e encontrar espaço para resistir é mais que uma possibilidade de estar em cena, mas a chance de viver coisas humanas.

O texto é inebriante, não se consegue parar de ouvir por um segundo os gritos de “parem de nos matar” somados à visão limpa e bela dos corpos nus. O anseio por liberdade é explicito na poesia de Guerche que consegue arrancar lágrimas de quem é mero expectador. Como se fosse possível ser mero expectador.

O fato é que cada um de nós está expresso naqueles corpos vestidos de medo e insegurança, mas revestidos de resistência. Vale a pena ver, rever, ouvir, reler o espetáculo por várias vezes para interpretar as nuances e a entrega da única personagem em cena: o corpo sem valor do LGBTI.

Serviço:

SP Escola de Teatro, Praça Franklin Roosevelt, 2010, Consolação.

Sextas e sábados: 21:00 / Domingos: 19:00

Ingressos a R$ 10,00 (segundas no Pague Quanto Puder).

Bilheteria abre 1 hora antes do início

Temporada: 29 de março de 2019 à 15 de abril 2019.

Siga o espetáculo no Facebook

Mais informações: Lucas de Jesus – clareiarp@gmail.com – 11 97134-8257

Read more stories by just signing up

or Download the App to read the latest stories

Already a member? Log in