#MyFemmeSelf é a nova campanha da Hornet para combater a masculinidade tóxica na comunidade gay

This post is also available in: English Español Français ไทย 繁體中文

Se identificar como LGBT nem sempre é fácil. Globalmente, masculinidade e todos os tipos de traços masculinos são valorizados, enquanto a feminilidade é rejeitada. É um sentimento difundido em mídia gay, pornografia e em espaços gays on-line – como a linguagem usada em aplicativos gays. Declarações como “não a afeminados”, ou “masc4masc” não refletem uma “preferência” – elas demonstram ignorância, sexismo e homofobia. Estereótipos raciais, machismo, sexismo e heteronormatividade instigam essas formas de discriminação, por isso o Hornet está orgulhoso de lançar a campanha #MyFemmeSelf.

Como uma iniciativa para afirmar e celebrar todos os tipos de expressões de gênero, #MeuFemmeSelf é uma oportunidade para combater a masculinidade tóxica e criar um espaço digital onde todos possam se sentir capacitados para explorar quem eles são e se expressar livremente.

Nossa comunidade deve agir mais como uma comunidade real. Precisamos reconhecer a beleza e o valor da diversidade e celebrá-la. Celebrar é mais do que assistir a programas de TV populares como o RuPaul’s Drag Race, que fez grandes progressos em termos de visibilidade e representação, mas é apenas uma parte do que é necessário para realmente demonstrar a incrível diversidade de nossa comunidade.

Em todo o México e na América Latina, muitas pessoas LGBT crescem sob uma cultura consumida pelo “machismo”, em que as pessoas que não se conformam ao gênero são constantemente marginalizadas. Ser feminino ou fazer coisas femininas nos faz sentir culpa, ódio e vergonha, porque eles são classificados como algo inferior.

#MyFemmeSelf 2
Illustration by Florence Guan via Dazed Digital

“Quando ambientes familiares, educacionais e sociais nos privam dessa validação – zombando de nós, limitando nossas experiências, criticando ou rejeitando nosso modo de ser e encarando a vida – nos tornamos incapazes de desenvolver um senso interno de confiança, competência e realização e de dar e receber amor incondicional,” diz Alex Torres, psicoterapeuta e especialista em desenvolvimento humano e bem-estar de pessoas LGBT.

Determinar o valor de uma pessoa com base na masculinidade, fisicalidade, etnia ou classe é injusto e demonstra uma incapacidade de reconhecer a humanidade de uma pessoa.

A mídia tradicional desempenha um papel importante na mudança da imagem e percepção do que muitos escondem como “preferência”. Entender que todos nós somos seres sexuais que precisam de amor e que conseguir conexões é fundamental, assim como saber que todos nós valemos o mesmo e não devemos excluir ninguém sob esses conceitos.

#MyFemmeSelf será uma campanha contínua do Hornet, incluindo histórias, entrevistas e perfis que refletem a mensagem de inclusão e aceitação.

Encorajamos você a usar essa hashtag no seu perfil do Hornet e a se envolver conosco nas mídias sociais com essa campanha também.

Imagem em destaque por Alberto Seyffert para itsgeorgieboy.