O estigma das ISTs está impedindo você de ter vida sexual segura?

This post is also available in: English Español

O “sexo seguro” geralmente se reduz a conversas sobre PrEP, preservativos e ISTs. Esses são tópicos importantes, mas os aspectos emocionais e sociais do sexo seguro são omitidos e causam efeitos colaterais mais profundos e duradouros. O estigma das ISTs ainda existe, e esse estigma é frequentemente a parte mais problemática de ter contraído uma infecção.

Não há nada de vergonhoso em ter contraído uma IST. Eles são infecções comuns – assim como o vírus ou bactéria que você pode obter de um bebê doente, uma maçaneta de porta ou de um avião. Vê-los como grosseiros, porque eles vêm do sexo é negativo e vergonhoso. Se você pode faltar trabalho porque está com o nariz escorrendo por conta de uma gripe, o mesmo deveria se aplicar a uma infecção contraída por um boquete.

Ter uma IST não o deixa “sujo” e você não está “limpo” se não tiver uma.

safe sex sti stigma 2

Se você é sexualmente ativo em qualquer coisa que não seja um relacionamento totalmente monogâmico, corre o risco de contrair uma IST. Vergonha e estigma apenas impedem a divulgação, a rotina de testes e tratamento. A vergonha nos impede de cuidar de nós mesmos.

Mas o sexo seguro também deve incluir segurança emocional.

Isto é, o sexo que se alinha com a sua autenticidade, sem vergonha alguma para o que o desperta, ou a vergonha para o seu corpo ou tamanho do pênis. O sexo importa, porque todas as interações relacionais deixam uma marca em nós. O sexo, que é sempre relacional – mesmo quando é anônimo ou com uma conexão aleatória – deixa você consciente e inconscientemente transformado.

Sexo emocionalmente seguro reconhece que todas as nossas experiências de contato são registradas e armazenadas em nossos corpos e genitais. Essas experiências podem nos deixar sentindo mais ou menos desejáveis, ou mais evitáveis. Isso enfraquece nossa capacidade de excitação e prazer em nossos corpos e genitais, também conhecida como trauma. Sua autoestima é sexual, determinada por todos aqueles com quem você interage e como eles deixam você se sentindo.

O sexo e a positividade do corpo são partes importantes do sexo seguro, já que sexo saudável é sexo que não nos deixa mal com relação a nós mesmos ou ao corpo. Deve ser divertido, excitante e também nutritivo. Nós não nascemos sentindo vergonha do corpo ou sexualmente ansiosos sobre o que nos excita. Nós fazemos isso uns aos outros.

Em vez de mudar seu corpo (perdendo peso, lutando contra o envelhecimento ou construindo mais músculos) ou mudando seus interesses sexuais, mude as pessoas com quem você faz sexo. Encontre aqueles que te erotizam como você já é!

Sexo saudável e seguro nos dá confiança sobre nossa excitação sexual e desejos. Significa ter o tipo de sexo que você quer, e pedir para ser tocado, lambido e fodido do jeito que você gosta, sem medo do que seu parceiro possa pensar de você.

Cheque antes: como me sinto ao fazer sexo com essa pessoa e como vou me sentir depois?

Cheque durante: Como ele se sente?

E depois: como se sentiu? Eu me sinto melhor ou pior?

Se pior, não faça sexo com eles novamente. Se melhor, então você encontrou um novo amigo!

Isso é “sexo seguro”. O sexo que considera todos nós, não apenas a transmissão de bactérias e vírus. Resumindo: só faça sexo com pessoas boas. Isso importa!

Abaixo o estigma da ISTs e viva o sexo emocionalmente seguro!

Dr. Chris Donaghue é palestrante, terapeuta e apresentador do podcast LoveLine, especialista semanal em The Amber Rose Show, e co-apresentador frequente da série de TV The Doctors. Ele já apresentou o WE Sex Box e é autor do livro Sexo Sem fronteiras: Sexualidade Autêntica numa Cultura Sexualmente Disfuncional que foi publicado em várias revistas profissionais e revistas de renome, incluindo o New York Times, Newsweek, Cosmo e National Geographic. Sigam-no no Twitter e no Instagram.