Presidente do Grindr diz que casamento é o santo matrimônio entre homem e mulher’

This post is also available in: English Español Français ไทย

A população LGBTI foi abalada com uma declaração do o presidente do Grindr, Scott Chen, que acredita que o casamento seja um “matrimônio sagrado entre um homem e uma mulher”. Para tornar as coisas ainda piores, a declaração de Chen veio de ninguém menos que da Into, o braço da empresa de mídia do próprio Grindr. A Into pertence e é operada pelo Grindr, que foi totalmente adquirida pela empresa chinesa de tecnologia Kunlun Group há um ano.

A declaração do presidente do Grindr, Scott Chen, formalmente uma empresa da CTO, foi feita no Facebook e logo depois apagada. Foi um comentário sobre a notícia de que o CEO da HTC Cher Wang estava secretamente promovendo o sentimento anti-LGBTQ in Taiwan antes do anúncio do referendo sobre o casamento gay na Ilha.

grindr president scott chen pic
Grindr President Scott Chen

“Há pessoas que acreditam que o casamento é um matrimônio sagrado entre um homem e uma mulher. Concordo, mas isso não é da nossa conta”, diz o comentário de Chen, segundo a própria tradução de Into. “Há também pessoas que acreditam que o propósito do casamento é criar filhos que carreguem seu DNA. Isso também não é da nossa conta. Há pessoas que são simplesmente diferentes de você, que querem desesperadamente se casar. Elas têm suas próprias razões”.

grindr president scott chen post

O presidente do Grindr continua dizendo que o tempo e o esforço são mais bem gastos ao preocupar com os pobres, os famintos e os afetados pela guerra.

Scott Chen conclui que ele nunca mais comprará outro produto da HTC depois dos esforços anti-gay de Cher Wang em Taiwan, nem doará dinheiro para organizações cristãs taiwanesas.

Esta revelação segue alguns percalços de relações públicas para o Grindr. Em março de 2018, o aplicativo se envolveu em um grande problema quando milhões de informações pessoas de usuários, mensagens e fotos (mesmo que o usuário tenha optado por não compartilhar dados de GPS) foram expostos. E em setembro do ano passado, o Grindr lidou com mais uma falha de segurança, já que um aplicativo de terceiros conseguiu identificar a localização exata dos usuários.

De acordo com o The New York Times, “funcionários e especialistas que rastreiam as operações chinesas de inteligência e influência estrangeira nos EUA” ficaram alarmados com a aquisição do Grindr pelo Grupo Kunlun, preocupados com a privacidade dos dados dos usuários porque o Governo Chinês poderia exigir detalhes sobre a vida de milhões de pessoas, independentemente de serem cidadãos chineses.

(Reforçamos que o Hornet permanece firme em seu compromisso de manter a segurança e proteção dos dados e toda e qualquer informação de seus usuários.)

O que você acha sobre a declaração do presidente do Grindr? Deixe um comentário.