Presidente do Grindr diz que casamento é o santo matrimônio entre homem e mulher’

Presidente do Grindr diz que casamento é o santo matrimônio entre homem e mulher’

Be first to like this.

This post is also available in: English Español Français ไทย

A população LGBTI foi abalada com uma declaração do o presidente do Grindr, Scott Chen, que acredita que o casamento seja um “matrimônio sagrado entre um homem e uma mulher”. Para tornar as coisas ainda piores, a declaração de Chen veio de ninguém menos que da Into, o braço da empresa de mídia do próprio Grindr. A Into pertence e é operada pelo Grindr, que foi totalmente adquirida pela empresa chinesa de tecnologia Kunlun Group há um ano.

A declaração do presidente do Grindr, Scott Chen, formalmente uma empresa da CTO, foi feita no Facebook e logo depois apagada. Foi um comentário sobre a notícia de que o CEO da HTC Cher Wang estava secretamente promovendo o sentimento anti-LGBTQ in Taiwan antes do anúncio do referendo sobre o casamento gay na Ilha.

Grindr President Scott Chen

“Há pessoas que acreditam que o casamento é um matrimônio sagrado entre um homem e uma mulher. Concordo, mas isso não é da nossa conta”, diz o comentário de Chen, segundo a própria tradução de Into. “Há também pessoas que acreditam que o propósito do casamento é criar filhos que carreguem seu DNA. Isso também não é da nossa conta. Há pessoas que são simplesmente diferentes de você, que querem desesperadamente se casar. Elas têm suas próprias razões”.

O presidente do Grindr continua dizendo que o tempo e o esforço são mais bem gastos ao preocupar com os pobres, os famintos e os afetados pela guerra.

Scott Chen conclui que ele nunca mais comprará outro produto da HTC depois dos esforços anti-gay de Cher Wang em Taiwan, nem doará dinheiro para organizações cristãs taiwanesas.

Esta revelação segue alguns percalços de relações públicas para o Grindr. Em março de 2018, o aplicativo se envolveu em um grande problema quando milhões de informações pessoas de usuários, mensagens e fotos (mesmo que o usuário tenha optado por não compartilhar dados de GPS) foram expostos. E em setembro do ano passado, o Grindr lidou com mais uma falha de segurança, já que um aplicativo de terceiros conseguiu identificar a localização exata dos usuários.

De acordo com o The New York Times, “funcionários e especialistas que rastreiam as operações chinesas de inteligência e influência estrangeira nos EUA” ficaram alarmados com a aquisição do Grindr pelo Grupo Kunlun, preocupados com a privacidade dos dados dos usuários porque o Governo Chinês poderia exigir detalhes sobre a vida de milhões de pessoas, independentemente de serem cidadãos chineses.

(Reforçamos que o Hornet permanece firme em seu compromisso de manter a segurança e proteção dos dados e toda e qualquer informação de seus usuários.)

O que você acha sobre a declaração do presidente do Grindr? Deixe um comentário.

Related Stories

The Boys In The Band | Jim Parsons fala como foi estar em elenco só de atores gays
Casal gay poderá levar 100 chicotadas por “orientação sexual ilegal” na Indonésia
Um quarto dos britânicos não acredita na masculinidade tóxica
Cinco momentos para se evitar engatar um namoro (vídeo)
Quantcast